Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

Jornal GGN denuncia política higienista de ACM Neto contra população de rua de Salvador

Imagem
Membro da Coordenação Nacional do Movimento da População de Rua acusa Prefeitura de Salvador de praticar ação higienista ter, 29/10/2013 - 22:19  - Atualizado em 29/10/2013 - 22:32 Maria Lucia: "Cerca de 4 mil pessoas vivem nas ruas em Salvador"       Textos ao Vento por  Zeca Peixoto * Estima-se que em Salvador cerca de 4 mil pessoas vivem nas ruas. Cidadãos que são alvo diário de toda sorte de violências. Quem informa é Maria Lucia Santos Pereira da Silva,membro da Coordenação Nacional do Movimento da População de Rua (MNPR). Segundo ela, o déficit habitacional no Brasil é de 23 milhões de residências. Maria Lucia, que concedeu entrevista exclusiva ao blog Textos ao Vento, aproveitou para fazer a seguinte denúncia: “À época da Copa das Confederações, em junho deste ano, 600 pessoas foram retiradas das ruas de Salvador e alojadas de forma desumana no prédio onde funcionava o Hospital Ana Néri, na Lapinha. A ação foi feita por uma entidade de nome Fede

GENOCÍDIO NÃO É ACIDENTE

Imagem
Por Guilherme Simões* Foram mais dois. Ou menos dois. No peito dos meninos. Mas, num caso foi acidente. Disparo acidental. Douglas morreu, mas foi sem querer. Aos 17 anos, tudo o que ele menos queria era morrer. Mas morreu. No outro, um homicídio em legítima defesa. Afinal, se um cara te assalta você pode mata-lo. Vila Medeiros: o soldado da PM foi pra enquadrar. Naquele dia, já devia ter enquadrado muitos ali na região. A zona norte de São Paulo também guarda seus lugares... No que ele pensou? É possível que não tenha pensado. Pode ter pensado que o moleque tinha cara de bandido, que no “bolinho” de moleque devia estar rolando qualquer coisa. Poderia até ser uma biqueira. “Vou enquadrar, dar uma prensa e um esculacho. Não gosto de função. Não gosto de marginal.” Se ele pensou em atirar? Isso não importa. Se foi acidente? O choro da mãe, dos irmãos e dos amigos não foi acidental. O velório não foi por acaso. A PM matou mais um. Agora é menos um. A viatura iria encostar, o soldado da

PERNAMBUCO RECEBEU R$ 146 MILHÕES DO GOVERNO FEDERAL PARA INCENTIVO À PRODUÇÃO DE LEITE. FALTA PRESTAR CONTAS.

Imagem
Entre agosto de 2009 e setembro de 2013, o governo federal, por intermédio do Ministério  do Desenvolvimento Social e Combate à Fome liberou R$ 146.280.102,64 para o Estado de Pernambuco desenvolvesse ações de continuidade ao Programa de Incentivo à Produção e ao Consumo de Leite do Governo Federal. O programa tem por objetivo fortalecer a cadeia produtiva, por meio da geração de renda e da garantia de preço do produto, diminuindo a vulnerabilidade social com o combate à fome e à desnutrição. O total do Convênio, que do lado de Pernambuco está sob a responsabilidade da Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária, chega a R$ 156.323.200,00 e a última liberação, no valor de R$ 9.000.000,00, ocorre no dia 18/09/2013. Chama nossa atenção o fato de que as prestações de contas de um Convênio de valor tão elevado e já liberado em quase a totalidade dos recursos orçados, ainda se encontrem pendentes, por parte do Governo Eduardo Campos.  Mas o que nos causa mais espécie, é ler o artig

TRF1 manda parar obras de Belo Monte por culpa da Norte Energia que não cumpriu condicionantes da licença prévia

Imagem
Conforme havíamos informado em primeira mão no sábado, o TRF1 mandou mesmo paralisar as obras de Belo Monte e por culpa exclusiva da Norte Energia, que, achando-se acima da lei, não cumpriu as condicionantes do licenciamento prévio, o que impede a concessão da licença definitiva. Belo Monte, portanto, estava sendo construída de maneira totalmente irregular e ainda com repasses do BNDES. Obrigação do governo Dilma é além de forçar o consórcio a cumprir as condicionantes impor pesadas multas pelo atraso atribuível exclusivamente às ilegalidades por este praticadas. A CGU tem o dever, ainda, de instaurar inquérito para apurar o repasse de recursos para um empreendimento que estava sem o devido licenciamento. VEJA AQUI: http://noeliabritoblog.blogspot.com.br/2013/10/confirmado-trf1-manda-paralisar-obras.html DA EBC Sabrina Craide Repórter da Agência Brasil Brasília – O desembargador Antonio Souza Prudente, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), concede

Educação em Pernambuco é ditadura informatizada, denuncia professora da Rede Estadual

Mestranda detida e agredida pela PM durante protestos pelo Passe Livre divulga Carta de Agradecimento pelo apoio recebido

Imagem
Carta de agradecimento Eu, Carolina Figueiredo de Sá, estudante do mestrado em Educação neste centro, gostaria de, por meio desta, agradecer publicamente o forte apoio e solidariedade prestados por diversos professores da UFPE, estudantes e advogados quando de minha detenção na última manifestação estudantil em defesa do passe livre. No dia 23 de outubro, participei do 10º protesto pelo passe livre em Recife, que contou inicialmente com cerca de 300 estudantes. As escolas da região central tiveram suas aulas canceladas (!) pela manhã, no intuito de diminuir a participação estudantil no ato. Porém, jovens de pouca idade, mas muito entusiasmo, mantêm-se mobilizados desde os grandes protestos de junho. Tribos e estilos variados, mas com reivindicações comuns, e uma clara percepção de que é preciso lutar para obter mudanças. Renovadas as esperanças de minha geração e de outras que me antecederam, o que vi foi que nem mesmo a violência desmedida e injustificável

Black blocs são politizados e expressam revolta contra injustiças sociais, diz pesquisador

Imagem
REDE BRASIL ATUAL Estudioso dos jovens mascarados, Francis Dupuis-Déri defende que a tática é uma reação à violência policial, e nasceu na Alemanha de 1980 da convicção de que é preciso ir além das passeatas por  Tadeu Breda, da RBA   publicado  28/10/2013 09:24,  última modificação  28/10/2013 11:19 0 Comments MÍDIA NINJA Black blocs marcham em SP em solidariedade aos professores do Rio: reação à violência da PM São Paulo – “É preciso perturbar e reagir quando a polícia ataca o povo.” Essa é uma das explicações que o cientista político  Francis Dupuis-Déri  elaborou sobre os black blocs durante os mais de dez anos em que estuda a tática dos jovens mascarados que se infiltram nas manifestações populares para atacar símbolos do capitalismo. “Apenas uma ínfima parcela da elite controla os negócios globais. Existe um sério déficit democrático no mundo. As pessoas estão revoltadas e consideram que já não basta se manifestar pacificamente.” Professor da Universidade de