Fundo que bancou CONE SUAPE é novo foco da Lava Jato por causa de delação de aliado de Eduardo Cunha


Matéria publicada no Portal Época (Leia AQUI) revela que boa parte dos procuradores que atuam na Lava Jato está dedicada a uma novíssima frente: o FI-FGTS. Alguns representantes do fundo (que dispõe de mais de R$ 30 bilhões) costumavam ser assediados por empresas gigantes interessadas em receber recursos. Em troca do direcionamento, dizem os investigadores, alguns representantes indicados pelo governo recebiam propina. O trabalho teve como ponto de partida Fábio Cleto, ex-dirigente da Caixa e aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Os investigadores já identificaram contas na Suíça em nome de Cleto, que negocia delação premiada com a equipe do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Em matéria publicada em nosso Blog, revelamos que nada menos que R$ 500 milhões dos recursos do FGTS, alocados ao FI-FGTS, que agora se sabe sob investigação da Lava Jato, foram utilizados para adquirir 39,75% das ações sem cotação em Bolsa, da empresa CONE SUAPE, em sociedade com o Grupo Moura Dubeux (Leia AQUI).


MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

É tetra! Prefeitura do Recife recebe a quarta "visita" da Polícia por fraudes na pandemia, desta vez foi a DECOT. A prefeitura nega envolvimento

Casa de Papel: ex-Gerente Geral da Secretaria de Governo de Geraldo Júlio é suspeito de intermediar contratos milionários da ALEPE com empresas de fachada "especializada em lavagem de dinheiro", aponta PF