BANCO ENVOLVIDO NOS ESCÂNDALOS DOS PRECATÓRIOS E DO BANESTADO VENCEU LEILÃO DE GERALDO JULIO BARRADO PELO TCE


Conforme nosso Blog já havia antecipado, em primeira mão, ontem, o Banco Fator foi o vencedor do Leilão realizado pela RECDA, empresa de propósito específico criada pela gestão Geraldo Júlio, para estruturar e negociar as debêntures decorrentes de parcelamentos de tributos municipais. O Fator lidera um consórcio formado ainda pelos bancos ABC Fator e Banco ABC.

Além do fato de ser uma instituição que tem amargado sucessivos prejuízos milionários, chama a atenção o fato de que uma das razões para que o TCE tenha determinado a suspensão da assinatura do contrato com o Fator, o custo da comissão do contratado ter sido onerado em nada menos que 450% em relação ao valor inicialmente estabelecido pela própria RECDA.

Vale destacar que o Banco Fator foi investigado pela CPI do BANESTADO, em 2003, exatamente sob a acusação de ter recebido seis vezes o valor licitado para fazer a avaliação do banco estatal (leia AQUI), além de tê-lo subavaliado.

O Banco Fator também esteve flagrantemente envolvido, no rumoroso Escândalo dos Precatórios (leia AQUI). 





MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Covidão: PF faz buscas nas Prefeituras do Recife, Paulista, Cabo e Olinda contra corrupção na pandemia