MPPE INSTAURA INQUÉRITO PARA INVESTIGAR MALVERSAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS POR SECRETÁRIOS DE ASSUNTOS JURÍDICOS DA PCR



Acatando Representação feita pelo Ministério Público de Contas do TCE/PE, da lavra da Procuradora GERMANA GALVÃO CAVALCANTI LAUREANO, a 44ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, em Portaria assinada pelo Promotor de Justiça HODIR FLÁVIO GUERRA LEITÃO DE MELO, determinou a instauração de Inquérito Civil Público, para apurar improbidade administrativa que teria sido praticada por Secretários de Assuntos Jurídicos de várias gestões da Prefeitura do Recife, inclusive da atual, por desvio de finalidade na aplicação dos recursos do Fundo Especial de Incremento de Arrecadação da Dívida Ativa do Município do Recife, posteriormente transformado em Fundo Especial de Apoio à Procuradoria do Município e por danos ao Erário em razão de pagamentos de alugueis de prédios para sediar a Procuradoria da Fazenda Municipal, quando a secretaria adquirira sede própria na qual fora despendido o valor de R$ 1,8 milhão com a compra e a reforma.

O MPPE também investiga o fato de o prédio ter sido colocado à venda, razão pela qual pede à Câmara Municipal, cópia do projeto de lei que pretende obter autorização para se desfazer do patrimônio público, enquanto alugueis continuam sendo pagos para particulares em prédio de luxo, anexo ao shopping Rio Mar.

Todos os secretários de Assuntos Jurídicos nomeados a partir de 01.01.2005 são investigados.

A Representação do Ministério Público de Contas teve origem a partir de denúncia protocolada pela Procuradora do Município NOELIA BRITO, editora deste Blog, que noticiou as irregularidades ao órgão de Contas que julgou procedente sua denúncia, através do Processo nº 1208775-0, determinando que a Procuradoria utilizasse o prédio ocioso e que o Município recompusesse os prejuízos causados ao Fundo da Procuradoria.

A gestão Geraldo Júlio, por se julgar acima da lei e do alcance de determinações dos órgãos de controle ou da Justiça, ignorou a decisão e resolveu vender o prédio e alugar salas para a Procuradoria no empresarial de luxo anexo ao Rio Mar (Leia AQUI)

Em novembro de 2015, a promotora Andrea Padilha chegou a notificar a Secretaria de Assuntos Jurídicos para que comprovasse o cumprimento da decisão do TCE, conforme noticiamos aqui mesmo em nosso Blog (Leia AQUI).

Leia AQUI a Denúncia formulada por nós, ao TCE, que deu origem à Representação do Ministério Público de Contas contra os secretários de Assuntos Jurídicos da PCR por Improbidade Administrativa. 


MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Covidão: PF faz buscas nas Prefeituras do Recife, Paulista, Cabo e Olinda contra corrupção na pandemia