CEASA TEM CONTRATO DE R$ 60 MILHÕES PARA FORNECER ALIMENTOS PARA PRESÍDIOS, MAS PRESOS MATAM GATOS PRA FAZER CHURRASCO EM PERNAMBUCO


Um churrasco regado a carne de gatos, promovido por detentos da penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá,  para comemorar o assassinato de um desafeto, chocou a opinião pública nacional e foi notícia não apenas em Portais locais e em programas policiais, mas em rede nacional (detalhes AQUI). 

O que não foi notícia foi o contrato de gestão de mais de R$ 60 milhões que a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos mantém com a CEASA - Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco, uma Organização Social, para gerenciamento e fornecimento de gêneros alimentícios para as unidades prisionais do Estado de Penambuco e que só em 2016 já repassou nada menos que  R$ 32 milhões para a tal OSCIP, comandada desde o governo Eduardo Campos pelo grupo do Sr. Romero Pontual a quem a Polícia Federal, no Inquérito 433/2007 (Mensalão Pernambucano), chamava de "O Homem Forte do PSB" (detalhes AQUI). 

Como explicar que a Secretaria de Justiça gaste R$ 60 milhões para que a CEASA forneça alimentos para os presídios de Pernambuco, dos quais só até junho de 2016 já foram torrados R$ 32 milhões e os presos tenham que fazer churrasquinho de gatos para se alimentarem? Explica essa, secretário Pedro Eurico?

Quais são as empresas que estão fornecendo alimentos para o sistema prisional por intermédio da CEASA? Foi feita licitação pela CEASA? Houve superfaturamento? Com a palavra o MPPE e o TCE!





MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

É tetra! Prefeitura do Recife recebe a quarta "visita" da Polícia por fraudes na pandemia, desta vez foi a DECOT. A prefeitura nega envolvimento

Casa de Papel: ex-Gerente Geral da Secretaria de Governo de Geraldo Júlio é suspeito de intermediar contratos milionários da ALEPE com empresas de fachada "especializada em lavagem de dinheiro", aponta PF