EMPRESÁRIO GIGANTE DA INFORMÁTICA APARECE EM PLANILHA DE INVESTIGADOS DA TURBULÊNCIA




O empresário Halim Nagem Neto, dono da Nagem (CIL - Comércio de Informática Ltda - CNPJ 24.073.694/0056-29) e de outras 17 empresas, aparece no Relatório de Inteligência Financeira (RIF) nº 14463, da Operação Turbulência, da Polícia Federal, como investigado por ter realizado operação financeira considerada "atípica", com o investigado Eduardo Freire Bezerra Leite, o "Ventola", no valor de R$ 200.000,00. De acordo com os dados, que constam do IPL nº 163/2016, a que o Blog teve acesso, Halim Nagem Neto teria depositado o dinheiro na Conta de nº 755982, da Agência 3552, do Bradesco, cujo titular é o próprio Ventola, que se encontra preso no COTEL, sob a acusação de integrar a organização criminosa que "lavava" o dinheiro desviado de obras públicas pelo PSB, de Pernambuco. 

A Polícia Federal não encontrou justificativa para a operação, daí porque considerá-la "atípica". Várias empresas e pessoas físicas constam na teia de investigados da Polícia Federal por manterem relações financeiras "atípicas" flagradas em Relatórios de Investigação Financeira que apuram as atividades dos presos pela Operação Lava Jato. O Blog está analisando as Planilhas e divulgará os nomes dos investigados que caíram na "malha-fina" da Polícia Federal.


Lista das empresas associadas a Halim Nagem Neto pela Planilha da Polícia Federal

MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: Polícia Civil de Pernambuco prende maior estelionatário do Nordeste. Hacker, que estava foragido, foi preso pela Delegacia do Cordeirro. Golpes ultrapassam a casa dos R$ 100 milhões

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia