EM BELO JARDIM, DEMISSÕES E ATRASOS DE SALÁRIOS GERAM CAOS NA SAÚDE E GESTÃO AINDA CULPA MÉDICOS


Chegou ao Blog denúncia de que a Secretaria de Saúde de Belo Jardim, apesar de contar apenas com três médicos plantonistas no Hospital Júlio Alves de Lira, naquela cidade, achou por bem demitir um de seus médicos para, em seu lugar destacar uma enfermeira obstetra, para tirar os plantões, pagando a esta, um salário de R$ 3,8 mil por mês.

A denúncia, ainda dá conta de que os médicos recebem seus pagamentos em atraso, o que somente viria a ocorrer, a partir do dia 15 de cada mês e que tal fato teria tido início a partir da gestão de Sílvia Renata. 

Segundo a denúncia, a Folha de Pagamento estaria fechada para pagar os dias compreendidos entre 15 de outubro e 15 de novembro e esse pagamento só seria feito no dia 22 de dezembro, não havendo qualquer previsão de pagamento para os plantões que foram prestados a partir do dia 15 de novembro.

Além do médico plantonista que foi demitido do Hospital Júlio Alves de Lira e que estaria sendo substituído por uma enfermeira, todos os médicos e enfermeiros dos PSF também teriam sido demitidos.

A prefeitura alega que os profissionais querem receber antecipado, porém, esse argumento não procede, uma vez que já estamos no dia 13 de dezembro e não se pode considerar plantões feitos em novembro, por exemplo e cujo pagamento ainda não foi realizado como "pretensão a pagamentos antecipados".



MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Desembargador extingue reclamação do Estado de Pernambuco contra decisão do Juiz que mandou suspender retorno das aulas presenciais