PATRIMÔNIO DE BOLSONARO É INCOMPATÍVEL COM DECLARAÇÃO DE RENDA FORNECIDA AO TSE



Do Notícias ao Minuto

Jair Bolsonaro, que está em seu sexto mandato consecutivo como deputado federal, declarou à Justiça Eleitoral no ano de 2010, bens que totalizavam o valor de R$ 826.670,46. Depois de quatro anos, ou seja, nas eleições de 2014, o patrimônio declarado por ele foi de R$ 2.074.692,43. 

A variação patrimonial é maior do que a soma dos salários líquidos que Bolsonaro ganhou como deputado. Significa dizer que, mesmo que o político não gastasse nenhum centavo do que ganhou, entre 2010 a 2014, ainda sim o montante acumulado não chegaria a R$ 2 milhões, segundo o Mídia Ninja.

Existe ainda a questão de o deputado ter adquirido, em 2014, dois imóveis no Rio de Janeiro, mais precisamente na Avenida Lúcio Costa. Tais propriedades, em termos de valores imobiliários, seriam incompatíveis com o valor declarado por ele, uma de R$ 400 mil e outra de R$ 500 mil. 

Seria improvável que alguém pudesse comprar um imóvel como os de Bolsonaro, nesta localização, por esses preços entre 2010 e 2014, pois neste período o país chegou a viver uma "bolha imobiliária", fazendo com que os valores dos imóveis disparassem. 

Fora tais imóveis, Bolsonaro afirma que continua dono das propriedades que já haviam declarado em 2010, ou seja, foram acrescentados mais estas duas casas ao seu patrimônio. 

Bolsonaro sendo batizado pelo Pastor Everaldo, no Rio Jordão. 
O que causa estranheza é que ele não declara, entre seus bens, ser proprietário ou sócio de nenhuma empresa, por isso é inevitável querer saber como Bolsonaro pode cobrir tamanha variação patrimonial sendo deputado federal.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Justiça recebe denúncia contra tenente coronel da PMPE acusado de assediar sexualmente 4 subordinadas policiais militares

Empresário é executado com tiro na cabeça, no Recife e Polícia mantém seu nome sob sigilo. Vítima seria irmão de autoridade do Poder Judiciário. Crimes de mando têm sido frequentes em Pernambuco

Roberto Viana e o Game of Thrones de Pernambuco

Antônio Campos cumpriu o que disse à Época e depôs hoje, no MPF, como testemunha em inquérito sigiloso envolvendo caciques do PSB. Vejam a nota

Indústria de multas de Geraldo Júlio arrecadou R$ 230 milhões em apenas 4 anos enquanto gastos com educação no trânsito não chegam a R$ 550 mil