AQUISIÇÃO DO COLAB POR GERALDO JÚLIO SERÁ INVESTIGADA PELO MPPE POR SUSPEITA DE IRREGULARIDADE NA INEXIGIBILIDADE DA LICITAÇÃO




Sem alarde, o Ministério Público de Pernambuco determinou, no final do ano passado, a instauração de um Inquérito Civil Público para investigar a aquisição, pelo prefeito Geraldo Júlio, do software COLAB, destinado à troca de informações entre o Poder Público Municipal e a população.

A denúncia de que a contratação não deveria ter ocorrido por inexigibilidade e de que o valor da contratação foi acima dos preços de mercado foi inicialmente encaminhada ao Ministério Público Federal que declinou da competência, encaminhando processo ao MPPE.

A promotora Andrea Padilha requisitou à Procuradoria Gerald do Município que encaminhe cópia integral do processo de inexigibilidade acompanhado dos contratos e respectivos aditivos firmados entre a Municipalidade e a COLAB TECNOLOGIA E SERVIÇOS DE INTERNET S.A.

O combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunha foi utilizado como justificativa para que a Secretaria de Saúde desembolsasse, sozinha, nada menos que R$ 498 mil por ano, com a plataforma, num contrato sem licitação (Leia AQUI).


MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

"Jovem deputado foi nutrido na mamadeira da Odebrecht", responde Antonio Campos ao sobrinho João Campos após ser chamado de "mau sujeito" em audiência da Câmara

Remuneração a juíza do TJ-PE chega a mais de R$ 1 milhão em novembro, revela a Folha de São Paulo

Veja: COAF achou R$ 40 milhões na conta de um desembargador