AQUISIÇÃO DO COLAB POR GERALDO JÚLIO SERÁ INVESTIGADA PELO MPPE POR SUSPEITA DE IRREGULARIDADE NA INEXIGIBILIDADE DA LICITAÇÃO




Sem alarde, o Ministério Público de Pernambuco determinou, no final do ano passado, a instauração de um Inquérito Civil Público para investigar a aquisição, pelo prefeito Geraldo Júlio, do software COLAB, destinado à troca de informações entre o Poder Público Municipal e a população.

A denúncia de que a contratação não deveria ter ocorrido por inexigibilidade e de que o valor da contratação foi acima dos preços de mercado foi inicialmente encaminhada ao Ministério Público Federal que declinou da competência, encaminhando processo ao MPPE.

A promotora Andrea Padilha requisitou à Procuradoria Gerald do Município que encaminhe cópia integral do processo de inexigibilidade acompanhado dos contratos e respectivos aditivos firmados entre a Municipalidade e a COLAB TECNOLOGIA E SERVIÇOS DE INTERNET S.A.

O combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunha foi utilizado como justificativa para que a Secretaria de Saúde desembolsasse, sozinha, nada menos que R$ 498 mil por ano, com a plataforma, num contrato sem licitação (Leia AQUI).


MAIS VISITADAS DO MÊS

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos