TODO APOIO À #GREVEGERAL

Nenhum comentário

28 de abr. de 2017


PRESIDÊNCIA DO TST TERIA APRESENTADO EMENDAS CONTRA TRABALHADORES NA REFORMA TRABALHISTA A PEDIDO DE LOBISTAS E MINISTRA PEDE INVESTIGAÇÃO

4 comentários


A Ministra Kátia Magalhães Miranda, do Tribunal Superior do Trabalho, encaminhou, ontem, ofício ao Presidente daquele Tribunal, ministro Ives Gandra Martins Filho, ofício questionando a origem das 11 emendas atribuídas à Presidência do Tribunal Superior do Trabalho que foram aprovadas pela Câmara dos Deputados, na chamada Reforma Trabalhista, "com conteúdo restritivo aos atuais direitos previstos na CLT". As emendas teriam sido apresentadas pela deputada federal Gorete Pereira, supostamente a pedido do TST, o que a Ministra Kátia Miranda considerou gravíssimo, chegando a chamar de "acusação" que pesa contra a "imagem" da instituição, tendo em vista matéria jornalística denunciando que lobistas de bancos, indústrias e transportes estariam por trás das emendas à Reforma Trabalhista (Leia AQUI).

De fato, matéria do "Intercept" revela que "LOBISTAS DE ASSOCIAÇÕES empresariais são os verdadeiros autores de uma em cada três propostas de mudanças apresentadas por parlamentares na discussão da Reforma Trabalhista. Os textos defendem interesses patronais, sem consenso com trabalhadores, e foram protocolados por 20 deputados como se tivessem sido elaborados por seus gabinetes." Dentre os vinte deputados que apresentaram as emendas de lobistas, elencados pelo Intercept, figura a deputada Gorete Pereira, do PP do Ceará, citada no ofício da Ministra Kátia Miranda, sendo, portanto, bastante pertinente o pedido de investigação sobre a possibilidade de que o gabinete da Presidência do TST tenha se prestado a atender interesses de lobistas de empresários em detrimento da classe trabalhadora.

A Ministra Kátia Miranda solicita, ainda, que o presidente Ives Gandra, além de esclarecer se tem conhecimento sobre o envolvimento da presidência do Tribunal com tais emendas, informe de que computador de seu gabinete teriam saído tais propostas lesivas aos trabalhadores, mandando investigar sua origem.





TRT DE PERNAMBUCO ADERE AO GOLPE E MANDA CORTAR PONTO DE SERVIDORES QUE PARTICIPAREM DA PARALISAÇÃO NACIONAL CONTRA A RETIRADA DE DIREITOS DOS TRABALHADORES

Um comentário

25 de abr. de 2017




Enquanto a Ordem dos Advogados do Brasil, o Ministério Público do Trabalho, a Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho e até Tribunais do Trabalho, a exemplo do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia, já manifestam total repúdio as chamadas reformas trabalhista e previdenciária que descaradamente e sob a batuta de políticos delatados e indiciados por corrupção e lavagem de dinheiro na Operação Lava Jato, tentam subtrair direitos e garantias historicamente conquistados pela classe trabalhadora e por servidores públicos, o Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região, sediado em Pernambuco, deixa claro seu apoio a tais reformas ao expedir ofício assinado por seu presidente, o desembargador do Trabalho Ivan de Souza Valença Alves, mandando "cortar o ponto" de todos os servidores do Tribunal que participarem da paralisação nacional agendada para o próximo dia 28 de abril, onde as mais diversas categorias, tanto da iniciativa privada, quanto do serviço público, já anunciaram participação.

ACESSE AQUI A NOTA CONJUNTA CONTRA A REFORMA

No despacho assinado pelo desembargador Ivan Valença, expedido em visível tom raivoso, é determinado a todas as unidades administrativas e judiciárias do Tribunal que "se houver adesão de servidor à paralisação no dia 28 de abril, registre-se a ocorrência no livro de controle de ponto, encaminhando, oportunamente, a referida anotação na frequência do mês."

A postura ditatorial da presidência do TRT de Pernambuco, que busca intimidar seus próprios servidores na luta por direitos que estão sendo vilipendiados pelos corruptos delatados na Lava Jato, em nada condiz com o que se espera de uma Corte de Justiça, ainda mais em se tratando de uma instituição que foi criada para que os direitos de Trabalhadores fossem defendidos, a ponto de ser chamada de "Justiça dos Hipossuficientes".

Para se ter uma ideia do absurdo da iniciativa da presidência do TRT de Pernambuco, um dos Estados, aliás,  mais enrolados nas delações da Odebrecht, a ponto do delatado Aldo Guedes, ex-presidente da estatal Copergas, ter sido denunciado por pedir R$ 90 milhões à empreiteira Odebrecht para que esta não tivesse problemas com os direitos trabalhistas dos 50 mil trabalhadores da construção civil, em SUAPE, nas obras de Abreu e Lima (Leia AQUI), o TRT da Bahia decidiu, em reunião do Pleno daquele Tribunal, mandou suspender o expediente daquela Corte no dia 28, em respeito à mobilização nacional e a decisão foi unânime.


Em Pernambuco, as seguintes Centrais e categorias já conformaram presença na Mobilização do dia 28, em defesa dos Direitos Trabalhistas e Previdenciários:

CUT, CTB, CSP Conlutas, UGT, Força Sindical, Nova Central e Intersindical, com apoio das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo
Rodoviários
Metroviários
Aeroportuários
Aeronautas
Metalúrgicos
Bancários
Polícia Civil
Servidores da Assembleia Legislativa de Pernambuco
Professores da UPE
Professores da Universidade Federal de Pernambuco
Trabalhadores da Previdência Social
Professores da rede municipal do Recife
Trabalhadores dos Correios
Petroleiros
Servidores Municipais do Paulista
Servidores Administrativos Fazendários
Servidores da Universidade de Pernambuco
Servidores do Poder Judiciário
Guardas Municipais do Recife
Trabalhadores em Processamento de Dados das empresas federais, estaduais, municipais e de empresas privadas
Trabalhadores Químicos
Trabalhadores de Estabelecimentos de Ensino da Rede privada
Trabalhadores Portuários
Professores de Jaboatão dos Guararapes
Trabalhadores em Educação de Pernambuco
Servidores Municipais do Recife
Enfermeiros Servidores Federais
Servidores estaduais da administração direta e indireta
Agentes Comunitários do Recife
Assistentes Sociais
Psicólogos
Farmacêuticos
Odontologistas
Fisioterapeutas
Terapeutas Ocupacionais
Agentes de Segurança Penitenciária e Servidores do Sistema Penitenciário
Auxiliares e Técnicos de Enfermagem de Pernambuco
Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal
Associação dos Profissionais de Educação Física
Trabalhadores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária
Trabalhadores da Construção Pesada
Trabalhadores em Asseio e Conservação
Condutores de Ambulância de Pernambuco
Sindicato dos Porteiros
Vários servidores públicos municipais, como por exemplo, de Buíque, São Bento do Uma, Bezerros, Abreu e Lima, Riacho das Almas, Iato, Exu, São Vicente Férrer, Tacaimbó. Tupanatinga, Sertânia, Moreno, Gravatá.

Quinta-feira, dia 27, será realizada uma coletiva de imprensa, às 10h, na sede da Nova Central, rua do Riachuelo, 105. Ed. Circulo, 5º andar, sala 505, na Boa Vista. 
Sexta-feira, dia 28, ato público seguindo de caminhada. Concentração, a partir das 14h, na Praça da Democracia Derby/Recife.

GERALDO JÚLIO É O SÉTIMO PREFEITO DE CAPITAL DELATADO PELA ODEBRECHT. ACESSE A PETIÇÃO DE JANOT

2 comentários

24 de abr. de 2017

Delatados na  Lava Jato, o senador Fernando Bezerra Coelho
 e o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, ambos do PSB, partido
que tinha Aldo Guedes como intermediário nas cobranças de
propina por todas as obras realizadas no Estado de Pernambuco,
segundo delatores da Odebrecht, compareceram à posse da
nova Mesa Diretora do TRF da 5ª Região acompanhados do
juiz aposentado Guilherme Uchoa é deputado estadual
e presidente da ALEPE

O inteiro conteúdo da Petição 6706, protocolada pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, não deixa a menor dúvida de que o prefeito Geraldo Júlio figura na lista de prefeitos de Capitais delatados como beneficiários dos favores financeiros do chamado "Setor de Operações Estruturadas" da Odebrecht (Acesse a Pet_6706 - Delação Premiada contra Prefeito Geraldo Júlio (Recife) De acordo com Rodrigo Janot, o executivo Luiz Eduardo da Rocha Soares teria apresentado documento comprobatório de que Geraldo Júlio recebeu, em 2012, ano em que se candidatou pela primeira vez ao cargo de Prefeito do Recife, o valor de R$ 500 mil do Setor dirigido por Luiz Eduardo.



Além de Geraldo Júlio, outros seis prefeitos de Capitais são apontados como beneficiários do mesmo esquema: de Salvador, ACM Neto (DEM), de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), de Vitória, Luciano Rezende (PPS), de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), de Teresina, Firmino Filho (PSDB), e de Macapá, Clécio Luís Vieira (Na época candidato pelo Psol, agora na Rede).



ACM NETO (DEM) - PREFEITO DE SALVADOR


Documento




ARTHUR VIRGÍLIO (PSDB) - PREFEITO DE MANAUS


Documento

MANAUS PDF



LUCIANO REZENDE (PPS) - PREFEITO DE VITÓRIA












Documento



IRIS REZENDE (PMDB) - PREFEITO DE GOIÂNIA






Documento



FIRMINO FILHO (PSDB) - PREFEITO DE TERESINA










Documento



CLÉCIO LUÍS (PSOL/REDE) - PREFEITO DE MACAPÁ








Documento

MACAPÁ PDF



DELATOR ENTREGOU DOCUMENTO APONTANDO QUE GERALDO JÚLIO RECEBEU R$ 500 MIL DA ODEBRECHT, AFIRMA JANOT.

Um comentário

19 de abr. de 2017




A Petição 6706, onde o esquema de corrupção envolvendo a empresa DAG, apontada como laranja da Odebrecht, em vários negócios, inclusive na PPP para construção do CIR de Itaquitinga e o Consórcio Advance/Socializa foram revelados em delações de Marcelo Odebrecht e por executivos, como Antônio Pacífico e Luiz Eduardo da Rocha Soares, revela que esse delator entregou aos investigadores um documento comprovando que o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, à época candidato, pelo PSB, ao cargo, teria recebido R$ 500 mil da empreiteira. 


A afirmação é feita pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, que assina a petição e que afirma que com relação a esses fatos não há menção a crimes, em tese, cometidos por detentores de foro por prerrogativa de função, perante o Supremo Tribunal Federal, de modo que, segundo Janot, a competência para o processamento dos crimes, em tese ali descritos, seria da Justiça Federal de Pernambuco.

Janot afirma, em sua petição, que o delator teria fornecido documento comprovando a entrega de R$ 500 mil a Geraldo Júlio, observe-se que sequer há menção de que tal entrega foi a interposta pessoa, mas que teria sido feita ao próprio Geraldo Júlio. Ademais, Geraldo Júlio era secretário de Desenvolvimento Econômico de Eduardo Campos e presidente de SUAPE, mesmo cargo que fora ocupado por Fernando Bezerra Coelho, seu antecessor, cargo que só deixou de ocupar para ser candidato à Prefeitura do Recife.

Claro está que será um verdadeiro escândalo se não for aberto nenhum inquérito no TRF5, contra Geraldo Júlio, que foi, sim, delatado e ainda com apresentação de documento comprobatório, segundo o próprio Rodrigo Janot, de recebimento de recursos da empreiteira baiana.

O caso de Itaquitinga é um dos mais escandalosos que vieram à tona com as delações da Odebrecht, pois já se sabe que para que o Banco do Nordeste do Brasil liberasse um empréstimo de R$ 350 milhões ao Consórcio Advance/Socializa, em sua integralidade, um secretário do Governo Eduardo Campos forneceu uma Cetdidão falsa atestando a conclusão da obra, jamais concluída. O nome desse secretário ainda continua uma incógnita (Leia AQUI).

Além disso, passadas apenas 48 horas da liberação fraudulenta do empréstimo para as obras de Itaquitinga, os sócios do Consórcio Advance/Socializa distribuíram R$ 90 milhões dos R$ 350 milhões entre si, como se fossem dividendos, segundo os delatores.

Assista AQUI trecho da delação premiada de Luiz Eduardo Soares da Rocha onde ele narra como funcionava o chamado Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht e como a Itaipava e a DAG eram utilizadas como "laranjas" para pagamentos de "Caixa dois", pela Odebrecht.






CRISE? QUE CRISE? PAULO CÂMARA AUMENTA EFETIVO DE POLICIAIS MILITARES À DISPOSIÇÃO DE GERALDO JÚLIO

Um comentário

18 de abr. de 2017


Em resposta à crise que tomou conta da Segurança Pública no Estado de Pernambuco e que ganhou destaque na primeira página do jornal Folha de São Paulo, de Domingo, além de matérias nacionais na GloboNews e no Jornal Nacional, o governador de Pernambuco Paulo Câmara mandou aumentar o efetivo de policiais militares à disposição do gabinete do seu colega de legenda, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, diminuindo o efetivo que deveria estar nas ruas, contribuindo com a segurança da população, para que fiquem à disposição da segurança de um político que já dispõe de veículo blindado pago pelos contribuintes do Recife.


Trata-se do Projeto de Lei Ordinária nº 1309/2017, cuja Mensagem nº 31/2017 foi encaminhada à Assembleia Legislativa e publicada no Diário Oficial de ontem, aumentando de 14 para 21 o número de militares da Assistência Militar da Prefeitura do Recife. À tramitação da matéria ainda foi pedido que se aplicasse o regime de urgência.


LEIA NOTA DO SINPOL SOBRE ESTOURO DA CRIMINALIDADE EM PERNAMBUCO ONDE APONTA MEDIDAS PARA COMBATER A SITUAÇÃO:

Lamentavelmente, a crescente onda de violência em Pernambuco voltou a ganhar destaque na imprensa nacional. Dessa vez foi a Folha de São Paulo que estampou em matéria de capa deste domingo (16) que a “Violência explode, e PE regride uma década com 16 assassinatos por dia”. E como se já não bastasse, a própria Folha de São Paulo precisou corrigir-se com a última atualização dos números da violência no estado: em março, superamos a marca dos 17 homicídios diários, em média.

Em entrevista aos repórteres especiais da Folha, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE), Áureo Cisneiros, expôs sua preocupação com a falta de medidas que efetivamente possam contribuir para a diminuição da violência no estado, como a valorização dos agentes de segurança pública, o aumento no efetivo e melhores condições de trabalho.

No final de 2014 o Sinpol já chamava a atenção do Governo do Estado para o iminente colapso na segurança pública, e em especial na polícia investigativa. Infelizmente tal prognóstico se concretizou. Na ocasião, o sindicato preparou um dossiê que foi entregue ao governador Paulo Câmara em 2015 no qual foram expostas deficiências e propostas de soluções para cada uma delas. O governo, no entanto, optou por não acolher as propostas encaminhadas e, à revelia do que diziam os agentes de segurança pública, trilhou o caminho que fez de Pernambuco um lugar cada vez mais inseguro e violento.

Sempre deixamos claro que a impunidade é o grande mal a ser combatido para se diminuir a violência e a criminalidade, pois, ela faz com que os indivíduos continuem reiteradamente a delinquir, causando um verdadeiro incentivo à atividade criminosa já que leva a crer que o "crime compensa". Só há uma forme efetiva para atacar tal mal: investimento maciço na polícia que investiga e elucida os crimes. A regra nos países com baixas taxas de criminalidade é uma polícia investigativa profissional, aparelhada e com efetivo suficiente para apurar e levar os criminosos a serem julgados pela justiça com provas suficientes, evitando, assim, que os bandidos não sejam facilmente soltos. À título de exemplo, no Japão a taxa de solução de crimes chega a 95%, enquanto que no Brasil não passa de absurdos 8%!

Por entender que não há tempo a perder e que trata-se, literalmente, de questões de vida ou morte, o Sinpol resolve outra vez tornar pública a série de medidas aconselhadas ao Governo do Estado para diminuir a violência no Estado, salvar vidas e recuperar a imagem de Pernambuco Brasil à fora:

1. Concursos periódicos para recompor o quadro, pois, não se pode admitir que uma carreira típica de Estado tenha concursos de 10 em 10 anos. Hoje temos o mesmo efetivo que há 30 anos atrás, enquanto que a população de Pernambuco quase duplicou;

2. Melhorar e padronizar as Delegacias. A maioria são casas alugadas e mal adaptadas para servirem as necessidades das equipes de investigação;

3. Desburocratizar a estrutura de investigação dando autonomia administrativa para a Polícia Civil, focando na atividade fim do Policial, e não utilizar o efetivo para atividades administrativas, como preencher planilhas;

4. Aparelhar e equipar a Polícia Civil com coletes e armamento adequado e confiável, com viaturas DESCARACTERIZADAS, pois, diferentemente do policiamento ostensivo, a investigação deve ser realizada de forma velada e discreta; 

5. Valorização e incentivo a todos os servidores Policiais Civis, com melhores salários, já que trata-se de uma carreira de nível superior, mas, que paga como nível médio, buscado diminuir e harmonizar as diferenças entre os cargos que a compõem, incentivando a permanência na carreira;

6. Combate às injustiças e privilégios internos e priorização a atividade investigativa;

7. Integração, interiorização e descentralização das atividades Periciais da Polícia Civil, fazendo com que as perícias atuem em conjunto e no mesmo espaço que as equipes de investigação.

Sabemos que não há mágica para se diminuir a criminalidade: é necessário um forte e perene combate a desigualdade social juntamente com uma Polícia Investigativa forte, capaz, bem aparelhada e bem remunerada. Faltou sensibilidade por parte do Governo Estadual em dialogar e debater as dificuldades e as saídas para tão grave problema com as entidades sindicais representativas da classe, com a sociedade civil organizada, com a academia e com todos os atores que, direta ou indiretamente atuam no combate à criminalidade. Faltou ao Governo o PACTO. 

O Sinpol continua e continuará com sua posição crítica, porém, como sempre o foi, disposto a discutir e contribuir para uma sociedade mais justa e menos violenta para todos, pois, o nosso compromisso é com os policiais e com a sociedade pernambucana.


A DIRETORIA


PSOL DE PERNAMBUCO FALA FINO COM PSB, MAS TENTA INTIMIDAR QUEM DENUNCIA ESQUEMAS GOVERNISTAS COM EMPREITEIRAS

4 comentários
Eduardo Campos fazendo campanha para o PSOL no Amapá


O Partido Socialismo e Liberdade - PSOL, que em Pernambuco detém um mandato de deputado estadual e outro de vereador do Recife, parece que ainda não compreendeu a gravidade de ter seu nome e de alguns de seus principais quadros, delatados pelos executivos da empreiteira Odebrecht, como beneficiários de doações, via Caixa 2. Aliás, no caso do PSOL, aparecer nas delações da Odebrecht, é ainda mais grave, pois seus Estatutos proíbem, terminantemente, o recebimento de doações advindas de empreiteiras, ainda que essas doações sejam pela via legal, ou caixa 1.

Assim, um candidato ou quadro do PSOL ter recebido doação de empreiteira, via Caixa 2, caracteriza falsidade ideológica não apenas do ponto de vista do Direito Penal, mas do ponto de vista político, pois o engodo se protrai para a ideia que o Partido e o próprio candidato quer passar sobre si mesmo para o eleitorado ou para aqueles que apoiam as bandeiras que Partido e candidatos afirmam defender.

Causa espécie, portanto, que o deputado estadual Edilson Silva tenha o descaramento de ingressar com um Pedido de Explicações (Processo nº 0000422-31.2017.8.17.0001) na 12ª Vara Criminal da Capital contra a Editora do nosso Blog, Noelia Brito, quando quem deve explicações é não apenas ele, como deputado estadual pelo PSOL, dirigente partidário que é e supostamente opositor do PSB, em Pernambuco, não só pelo envolvimento de seu Partido e de nomes importantes deste, com a Odebrecht, mas de seu silêncio como parlamentar, que se afirma como "da bancada de oposição", pelo conteúdo das delações premiadas vindas a público nos últimos dias e que demonstram que todos os contratos de obras assinadas entre o governo de Pernambuco e empreiteiras, notadamente entre a Odebrecht e a OAS, rendiam propinas que variavam entre 2% e 3% para o PSB, que governa o Estado de Pernambuco desde 2007 e a Prefeitura do Recife, desde 2013.


Desde que o PSOL apareceu como beneficiário das doações da Odebrecht, com valores polpudos a pretexto de fazer uma tal de "revolução burguesa" como revelou jocosamente o delator Alexandre Barradas, ao contar que foi assim que o então senador pelo PSOL, Randolfe Rodrigues, pediu-lhe R$ 480 mil para a campanha do atual prefeito de Macapá Clécio Luis, que foi festejado como o primeiro prefeito eleito pelo PSOL, não se viu um único pronunciamento do deputado Edilson Silva sobre as propinas milionárias que o PSB recebeu em todas as obras do Estado e até da Refinaria Abreu e Lima, por intermédio do Sr. Aldo Guedes, que estranhamente continua solto e vem o deputado que se diz "necessário" pedir "explicações" a nossa Editora, sabe-se lá explicações de quê. Ora, Sr. Deputado, nós que pagamos, com nossos impostos, os custos de seu caríssimos gabinete com mais de 20 assessores é que queremos explicações de Vossa Excelência!

Fonte: MSN Esportes

Nós, os cidadãos-contribuintes-eleitores de Pernambuco, Sr. Deputado Edilson Silva, queremos que Vossa Excelência explique vosso silêncio sobre a gravíssima revelação de que a Odebrecht e a OAS pagaram R$ 15 milhões para que o governo de Pernambuco manipulasse os movimentos sindicais, para que 50 mil trabalhadores de SUAPE fossem prejudicados e agissem como cordeiros durante a construção da Refinaria Abreu e Lima. Nossa Editora, a quem Vossa Excelência tanto persegue com ações de caráter intimidatório, na mesma linha das perseguições de outros algozes, sempre teleguiados pelos poderosos de plantão, inclusive empreiteiras, como a Moura Dubeux e secretários de governos de partidos da direita tradicional, como o PSDB e o próprio PSB, em quem Vossa Excelência parece se inspirar, não se calou e jamais se calará diante de covardes que se aproveitam de cargos ou legendas para vomitarem sua inconformação contra uma mulher que não se curva nem à corrupção e nem ao machismo mal disfarçado de indignação.

Ontem nossa valente Editora trouxe a público (Leia AQUI) a cobrança do suborno milionário feita por Aldo Guedes, em nome do PSB contra os 50 mil trabalhadores de SUAPE, enquanto o deputado que se diz de esquerda e pede votos aos trabalhadores e ainda consegue, por mais incrível que isso pareça se calava e urdia a traiçoeira perseguição judicial ou . Mas se mostra ágil na intimidação de quem traz a público os malfeitos de quem pede suborno a empreiteiras para perseguir e colocar cabresto na classe trabalhadora.

Nosa Editora Noelia Brito revelou, em primeira mão, todo o esquema de corrupção envolvendo a PPP de Itaquitinga e que um secretário do governo de Pernambuco deu uma Certidão falsa atestando que a obra estava pronta e acabada, para que o Banco do Nordeste do Brasil liberasse, integralmente, um empréstimo de R$ 350 milhões para o Consórcio Advance/Socializa, que em 48 horas distribuiu esse empréstimo, como dividendos, entre seus sócios. O próprio Marcelo Odebrecht revelou que tinha certeza de que alguém na cúpula do governo de Pernambuco teria "rabo preso" com o Fialho, dono da Advance (Leia AQUI). Que explicações o Sr. Deputado de oposição, Edilson Silva, ou o PSOL, pediram ao governador Paulo Câmara, sobre essas gravíssimas denúncias, ou mesmo ao Banco do Nordeste do Brasil? Mandaram algum pedido de Informações ao Banco exigindo a cópia da Certidão falsa que causou prejuízos milionários ao Banco público? Usaram algum dos vários advogados que exercem cargos comissionados no  "mandato necessário" pagos com o nosso dinheiro, dinheiro do contribuinte, para entrar na Justiça para exigir informações sobre o caso? Claro que não, pois seu mandato só se presta a perseguir os opositores do governo  ao qual fingem se opor.

Explique-se o senhor, deputado Edilson Silva, sobre esse silêncio ensurdecedor de seu mandato sobre a corrupção no governo de Pernambuco. Explique-se o PSOL, sobre as   delações da Odebrecht a figuras exponenciais do Partido e principalmente sobre a confissão da Sra. Luciana Genro, candidata do PSOL à Presidência da República, de que mantém uma ONG chamada Emancipa, que promove cursinhos gratuitos para o ENEM, bem ao estilo Malba Lucena e que é mantido por doações de grandes empresas entre elas, a Odebrecht.

SAIBA MAIS






DELAÇÕES COMPLETAM LACUNAS QUE FALTAVAM PARA PROSSEGUIMENTO DA "TURBULÊNCIA"

Nenhum comentário

17 de abr. de 2017


A partir das delações da Odebrecht, já é possível ao Ministério Público Federal, em Pernambuco, reabrir as investigações da Turbulência, arquivadas pelo TRF5, sob o argumento de que a denúncia fora apresentada sem que os beneficiários da "lavagem de capitais" fossem indicados. Pois bem! Os benefiários da lavagem das propinas pagas pela OAS que aparecem nas operações rastreadas pela Polícia Federal, na Turbulênncia, estão devidamente identificados nas delações. Todos os delatores confirmam que as propinas eram pagas, meio a meio, pela Odebrecht e pela OAS, que formaram consórcios para fraudar licitações das obras de Pirapama, RNEST, Terraplanagem em SUAPE, pagando propinas que variavam entre 2% e 3% sobre o valor dos contratos a Aldo Guedes, que acertava e cobrava as propinas em nome de Eduardo Campos, para bancar as campanhas deste e do PSB e Iran Padilha, que acertava e cobrava as propinas em nome de Fernando Bezerra Coelho, para bancar as campanhas de seu grupo político. João Carlos Pessoa de Mello e Eduardo Leite (Ventola) são apontados pelos delatores como os encarregados de receberem os recursos em nome de todos na Casa de Câmbio Mônaco (codinome Madeira), situada ao lado do Restaurante "Leite", no centro do Recife ou através de uma conta num banco em Hong Kong.


ALDO GUEDES PEDIU PROPINA DE R$ 90 MILHÕES POR APOIO NAS RELAÇÕES SINDICAIS, MAS LEVOU R$ 15 MILHÕES NA RNEST

Nenhum comentário
Márcio Farias delatando o propinoduto da RNEST

O delator Márcio Farias contou em sua delação premiada que o ex-presidente da Copergas, apontado como o operador das propinas de Eduardo Campos, foi a primeira pessoa a procurá-lo para exigir propina pelas obras da RNEST - Refinaria Abreu e Lima, mesmo se tratando de uma obra da Petrobras.

Segundo Márcio Farias, Aldo Guedes, numa reunião em São Paulo, apresentou-se como único representante de Eduardo Campos e que queria 2% de propina, sobre o valor da obra que era de R$ 4,5 bilhões. Guedes mencionou que uma "comissão" também era paga pela terraplanagem em SUAPE e que o pagamento garantiria o apoio incondicional do governo de Pernambuco no contrato, com ênfase nas relações sindicais, tendo em vista que a obra envolveria 50 mil trabalhadores. 

Márcio Farias perguntou em que planeta Aldo Guedes estava e disse que só pagaria R$ 7,5 milhões por empresa,  ou seja, a Odebrecht pagaria a metade e a OAS pagaria a outra metade, o que totalizou R$ 15 milhões em propina.

O pagamento foi feito através da Casa de Câmbio Mônaco, que na planilha recebe o codinome de "Madeira" e funcionava ao lado do Restaurante "Leite", pois as tentativas de que o pagamento fosse feito numa conta no exterior não tinham sido bem sucedidas. Segundo Farias, a conta seria em Hong Kong. 

Assista a delação contra ALDO GUESDES NA RNEST AQUI 

SECRETÁRIO DE PERNAMBUCO DEU CERTIDÃO FALSA PARA LIBERAR EMPRÉSTIMO DO BNB PARA CIR DE ITAQUITINGA, REVELA DELATOR DA ODEBRECHT

Nenhum comentário

15 de abr. de 2017

CIR de Itaquitinga

O Blog da Noelia Brito já havia revelado, com exclusividade, que a PPP de Itaquitinga era um dos temas tratados pela delação premiada dos executivos da Odebrecht e que um "cheque especial" de R$ 100 milhões, não quitado por meio de aditivos aos contratos da Arena Pernambuco, seriam o "pepino" referido por Marcelo Odebrecht, em depoimento prestado ao ministro Herman Benjamin, no processo de cassação da chapa Dilma/Temer, que teria impedido a Odebrecht de realizar doações para a campanha de Eduardo Campos, nas eleições de 2014.

As revelações foram feitas em conversas gravadas entre integrantes do governo de Pernambuco e empresários responsáveis pela PPP de Itaquitinga e o ex-executivo da Odebrecht, João Antônio Pacífico, um dos principais delatores da empreiteira baiana, cuja delação teve o sigilo levantado, pelo relator da Lava Jato, no Supremo, Edson Fachin.

As conversas foram degravadas e publicadas em nosso Blog (Leia AQUI), com exclusividade e seu conteúdo foi corroborado pelas delações dos executivos Antônio Pacífico, Fernando Reis, Benedicto Junior e pelo próprio Marcelo Odebrecht, em suas delações perante procuradores da República, em várias unidade do MPF, onde os depoimentos foram prestados.



Em seu Termo de Depoimento (TD nº 28 Anexo 19 - CIR), prestado na sede da Procuradoria da República, em Pernambuco, no dia 13/12/2016, o ex-executivo da Odebrecht, Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, que presidia a Odebrecht Ambiental, confirmou as fraudes praticadas pelos empresários ligados ao Consórcio Advance/Socializa, em conluio com membros do governo do Estado de Pernambuco, para a liberação de um empréstimo de R$ 350 milhões, junto ao Banco do Nordeste do Brasil e que deveriam ter sido investidos nas obras do Centro Integrado de Ressocialização de Itaquitinga.

Segundo Fernando Reis (aos 16"46'), um secretário do governo do Estado de Pernambuco teria assinado uma Certidão atestando falsamente a conclusão da obra do CIR de Itaquitinga. Por causa dessa Certidão, o BNB liberou o total do empréstimo e, ainda segundo o delator, em menos de 48 horas, os sócios da empresa teriam distribuído entre si, como "dividendos", nada menos que R$ 90 milhões do valor do empréstimo.

Fernando Reis revela, ainda, que ao ser informado por ele sobre o desvio dos R$ 90 milhões, Marcelo Odebrecht, que havia sido, conforme antecipamos em nosso Blog, acionado por Eduardo Campos para cobrir o rombo com um "cheque especial" inicial de R$ 50 milhões e já lhe eram pedidos mais R$ 20 milhões, para aquele "buraco sem fundo", questionou Eduardo sobre a destinação dos R$ 90 milhões do empréstimo com o BNB. Campos, então, teria atribuído o desvio a uma "questão do PT", buscando eximir seu pessoal de envolvimento nos desvios.

O conteúdo da delação do chefão da Odebrecht, porém, indica,  que Marcelo não acreditou na versão de Eduardo Campos, pois além de ter suspendido quaisquer repasses para o PSB, enquanto Eduardo Campos não resolvesse o imbróglio de Itaquitinga, ainda repetiu, por reiteradas vezes, em sua própria delação premiada, ter certeza de que alguém no governo Eduardo Campos tinha "o rabo muito preso" com "o tal de Fialho", da Advance, pois só isso para explicar a moleza com que a equipe de Eduardo, sempre tanto competente nessas situações, tratara o caso. Aos 10"10' Marcelo diz: "Eu acho que Fialho tinha relações com algumas pessoas dentro do governo e que eu acho que uma das razões que eles não conseguiam resolver é que eles tinham que jogar mais duro com o tal do Fialho, eu acho que devia ter  gente lá com o rabo preso com o Fialho, porque é impossível! A gente pedia as coisas e as coisas não aconteciam e normalmente, a equipe de Eduardo era um equipe competente pra resolver as coisas e isso não é nada!" Aos 13"15', Marcelo Odebrecht repete: "Com certeza, alguém lá tinha o rabo preso com o Fialho!" (Confira Aqui ).


Reis ainda revela que o dinheiro que a Odebrecht aportou na PPP de Itaquitinga através de uma empresa "laranja" de um amigo de Marcelo, a DAG, já que a própria Odebrecht não poderia aparecer oficialmente no negócio, foi repassado por meio de "offshores" no exterior e continua até hoje como uma pendência não resolvida entre o governo de Pernambuco e a empresa, já que o governador João Lyra não levou adiante as providências acordadas entre Marcelo e Eduardo, antes do falecimento deste, medidas que, segundo Fernando Reis eram, "de fato, bastante complicadas, até de se justificar".

RELEMBRE O QUE NOSSO BLOG JÁ PUBLICOU SOBRE O CIR DE ITAQUITINGA

EXCLUSIVO: BLOG REVELA CONTEÚDO DAS DEGRAVAÇÕES DE CONVERSAS DA CÚPULA DO GOVERNO DE PERNAMBUCO PARA TENTAR ENCOBRIR ROMBO DE MAIS DE R$ 300 MILHÕES DA PPP DE ITAQUITINGA INVESTIGADO PELA POLÍCIA FEDERAL

MILTON COELHO FOI AO MPT DEFENDER PROJETO QUE CONSIDERAVA "NEGÓCIO JÁ AFUNDADO", REVELAM DOCUMENTOS DA EXECUÇÃO MOVIDA PELO BNB CONTRA ADVANCE

DELATOR DA ODEBRECHT FOI GRAVADO JUNTO COM ALDO GUEDES E THIAGO NORÕES NO EPISÓDIO DO "CHEQUE ESPECIAL" PARA ITAQUITINGA


NOTA DE NOSSA EDITORA, NOELIA BRITO, SOBRE O PSOL

2 comentários

PSB e PSOL - Oposição domada.
Tomei conhecimento de que na reunião em que o Sr. Paulo Rubem Santiago foi dar explicações sobre os recursos recebidos da empreiteira Odebrecht, via Caixa 2, para suas campanhas eleitorais, aos seus companheiros do PSOL, meu Blog foi citados por várias vezes e chamado de "blog de fofocas". Pois bem. O PSOL considera que não passam de fofocas tudo que eu já publiquei, com vasta documentação, sobre a corrupção entranhada nos governos do PSB, em Pernambuco, inclusive grampos e inquéritos da Polícia Federal, todas em primeira mão, sobre as quais o deputado "desnecessário", do PSOL, com seu gabinete repleto de "Aspones", jamais fez sequer um pronunciamento, de tanto medo que tem dos dossiês do presidente da ALEPE e aliado do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Júlio, o deputado Guilherme Uchoa. 

Todas as minhas denúncias, que para o PSOL não passam de "fofocas", foram e têm sido confirmadas pela Polícia Federal, Ministério Público, delações premiadas, enfim, até pela mídia corporativa, a qual o Psol tanto gosta de se utilizar para dar entrevistas e se promover e onde sempre tem e teve espaço garantido (Por que será?). 

Consideram fofoca, também, minhas matérias sobre as fraudes no leilão dos armazéns do "Cais José Estelita", que beneficiaram a construtora Moura Dubeux, que eles fingem combater, mas contra a qual nunca protocolaram uma única denúncia. Da mesma maneira que para o PSOL e para seus agregados em gabinetes parlamentares e sindicatos, as minhas denúncias de que a Moura Dubeux se beneficiou de R$ 500 milhões do FGTS dos trabalhadores eram fofoca. Depois das minhas denúncias, a Polícia Federal e o Ministério Público do Distrito Federal desencadearam uma operação contra essa construtora e seus diretores que pagaram propina pelo empréstimo à organização criminosa comandada por Eduardo Cunha na Caixa Econômica Federal, mas o PSOL que defende quem recebe doação de empreiteira e desqualifica quem denuncia essas mesmas empreiteiras, inclusive com ataques pessoais e afirmações pejorativas e machistas, considera o trabalho que presto, sem receber nada em troca, além da minha reconhecida credibilidade perante o povo pernambucano e para além das fronteiras do Estado, mera "fofoca". É que assim como o partido co-irmão do PSOL, o PSB, para os pessolistas, quem não prevarica para esconder os malfeitos do Partido, não passa de fofoqueiro. Ladrões são apenas os outros, de preferência se forem petistas. 

O PSOL, por não ter capacidade de conviver com a diversidade e a crítica, de fato, negou-me legenda numa reunião de seu diretório nacional, a pedido do grupo político do deputado Edilson Silva, que chegou a ameaçar se desfiliar do PSOL se este me filiasse (relato que me foi feito por aqueles que apoiavam minha filiassem sobre as ocorrências da reunião em questão).  Não se pode apontar os erros do PSOL, pois deslizes éticos de "capas" do PSOL não passam de fofocas, é claro, por mais graves que sejam. Por isso, pensam que devo me intimidar e me calar quando me deparar com qualquer denúncia de irregularidade referente a qualquer de seus filiados, ainda que sejam figuras públicas ou parlamentares.

Os pessolistas, do alto de sua leviana condição de "palmatória do mundo", costumam dizer que nem o PT me quis. Pois bem. É verdade que em dado momento, a direção municipal do PT, no Recife, criou dificuldades para me filiar, por questões personalistas de alguns de seus membros. Diante disso, o PT foi pro seu lado e eu pro meu. Em nenhum momento, porém, o PT soltou notas difamatórias contendo absurdos para me desqualificar e me desmoralizar, como sempre fez o PSOL, para justificar o injustificável politicamente, que era o fato daquele partido não me filiar porque interesses pessoais se sobrepunham aos interesses coletivos que deveriam nortear a legenda. O PT jamais emitiu notas me chamando de "mente tortuosa", nem de louca. Do mesmo modo, o PT jamais utilizou assessores de parlamentares, pagos com o dinheiro do contribuinte, para espalhar em redes sociais que eu era uma "blogueira rica vendida a Geraldo Júlio", utilizando como "prova" meu contracheque contendo remuneração, férias e décimo terceiro de procuradora concursada há mais de vinte anos do  Município do Recife, o mesmo Geraldo Júlio que forjou dois inquéritos administrativos contra mim, chegando a me suspender por oito dias, na tentativa de me intimidar e que é aliado político e amigo pessoal de mesmo Tadeu Alencar, deputado federal do PSB, investigado por fraudes na Arena Pernambuco, PPP com a Odebrecht e que frequenta com pompa e circunstâncias as filiações do PSOL de Pernambuco.

O PT nunca me censurou, nunca me processou para me chantagear e calar meu Blog, ainda que eu tenha publicado matérias sobre delações envolvendo seus principais parlamentares. O PSOL e seus filiados me processaram e sempre utilizaram-se de todo tipo de aleivosias para me intimidar, sendo a pior de todas, a difamação. Era direito do PT não me filiar e pronto. As relações da militante Noelia Brito com o PT continuaram respeitosas, a ponto de eu dar total apoio, por exemplo, à candidatura do PT, à Prefeitura do Recife, em 2016, com dedicação e empenho pessoal até superior a de muitos parlamentares do próprio PT, os quais sequer deram as caras na campanha de João Paulo. Assim como era direito do PSOL ou de qualquer partido não me filiar. O que não é direito do PSOL e de ninguém é criar uma campanha difamatória subterrânea e através de notas amorais para me desmoralizar como mulher, como procuradora que sou, como militante e como ser humano. Esse direito o PSOL não tinha, não tem e não terá. Arca e arcará com as consequências de sua pequenez política e moral. 

O PT cometeu erros inomináveis e deve fazer autocrítica para corrigi-los, pois é um partido que ainda carrega um rasgo de esperança popular e tem em sua base pessoas que realmente se importam com o povo e o social. Já o PSOL, comete as mesmas abominações que critica no PT, só que sem qualquer conectividade com os interesses do povo. Ao PSOL, só interessa o ego de sua meia dúzia de militantes pequenos-burgueses e os carguinhos que possam conseguir em algum gabinete dos parlamentares "oba-oba" desse partido da "modinha". Psol, cresça e apareça!

NOELIA BRITO
Editora do Blog da Noelia Brito
© Todos os direitos reservados - 2021