EMPRESA DA MÁFIA DA MERENDA TINHA CONTRATO ATÉ COM A SDS PARA FORNECIMENTO DE CARNE



ESPECIAL MERENDA ESCOLAR - PARTE II

Apontada pela Operação Comunheiro II como uma das líderes da Mafia da Merenda que tomou conta do fornecimento de gêneros alimentícios da escolas e hospitais da rede pública de Pernambuco, a empresa WJR COMERCIAL, que também é acusada de fornecer carne podre para prefeituras e hospitais públicos no Estado, chegou a ser contratada pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, em 2015, para fornecer "carne bovina" para aquela Secretaria. A informação consta no Portal "Tome Conta" do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, que também informa que pelo menos 39 prefeituras pernambucanas firmaram contratos com a mesma empresa para fornecimento de gêneros alimentícios.  


Veja a lista das Prefeituras que já contrataram com a WJR e o número de empenhos pagos por cada prefeitura à empresa:



Fontes ouvidas pelo Blog, em reserva, revelam que a empresa WJR Comercial Ltda. - ME, criada há cinco anos no Município de São Lourenço da Mata, seria parte integrante de um conjunto de empresas pertencentes a um conhecido operador de esquemas da Máfia da Merenda, já flagrado em grampos da Polícia Federal, mas que continha misteriosamente impune, enquanto os sócios da empresa, que foram presos pela Operação Comunheiro, Jose Florencio Da Silva e Reginaldo de Almeida Barros Junior. seriam apenas "laranjas" do esquema. Uma delação premiada não é descartada já que se espera que muito mais empresas e muito mais prefeituras seja alcançadas pelas próximas fases da Comunheiro.

Fonte: SDS

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos