ODACY AMORIM É INVIÁVEL COMO CANDIDATO PELO PT AO GOVERNO DE PERNAMBUCO! SAIBAM O PORQUÊ.



Tão logo o Blog do conceituado jornalista Inaldo Sampaio divulgou pesquisa apontando que de todas as pré-candidaturas de oposição até agora colocadas como possibilidades, a que se mostrava presente no segundo turno, em todos os cenários testados, contra o atual governador de Pernambuco, Paulo Câmara, do PSB, era a da vereadora e líder da oposição na Câmara do Recife, Marília Arraes, do PT, o deputado estadual Odacy Amorim, do mesmo Partido, resolveu se lançar também candidato, dispondo-se a bater chapa contra aquela que se mostra, segundo as pesquisas, a candidata mais viável para destronar o PSB do Palácio do Campo das Princesas, isso é claro, se alguns dirigentes petistas não colocarem seus projetos pessoais acima dos interesses do povo de Pernambuco e não inventarem de levar o PT para o palanque de Paulo Câmara, como tem sido aventado não apenas pela mídia local, mas também na mídia nacional.

Mas para além do fato de ser um deputado sem maior expressividade e com atuação limitada ao Município de Petrolina, de onde chegou a ser prefeito, o que por si só já tornaria suas pretensões de disputar o governo de Pernambuco uma aventura, já que não apenas a vereadora Marília Arraes, mas os demais postulantes já colocaram o pé na estrada há pelo menos um ano, ao passo que o deputado Odacy Amorim, até onde se sabe, até agora não fez nenhuma agenda que vá além do envio de mensagens pelo WattsApp, onde se ocupa mais em falar sobre a vida pessoal dos adversários do que em divulgar suas propostas para Pernambuco ou demonstrar no que seria um candidato melhor e mais alinhado com as bandeiras petistas ou de esquerda do que a vereadora Marília Arraes, por exemplo, alguns fatos demonstram que a candidatura de Odacy não deve ser mesmo " de vera".

Para ser o candidato do PT ou da esquerda, por exemplo, na atual conjuntura, onde se tem como opção posta, a vereadora Marília Arraes, que aparece nas pesquisas de opinião com o menor índice de rejeição entre os pré-candidatos ao governo de Pernambuco e com índices que segundo nossas fontes, em pesquisas feitas pelo próprio Palácio, já atingiram os 18%, o deputado Odacy Amorim teria que desfazer a pecha de homofóbico conquistada durante as votações para a criação da Frente Parlamentar destinada a discutir a homofobia na Alepe quando ele, Odacy, ainda era do PSB e integrava a chamada "Bancada Evangélica" (Leia em Bancada evangélica é contra Frente Parlamentar para discutir homofobia). O combate à homofobia, como se sabe, é uma bandeira histórica não apenas das esquerdas, mas do próprio PT. Se é assim, alguém com a pecha de homofóbico e que votou contra a criação de uma Frente Parlamentar para combater a homofobia não poderia jamais ser candidato do partido ao governo de Pernambuco ou de onde quer que seja.


Governo do PT, na Prefeitura do Recife, foi vanguarda na defesa dos direitos
LGBTs
Não podemos esquecer que foi sob o governo do PT, mais precisamente na primeira gestão do ex-prefeito João Paulo à frente da Prefeitura do Recife, que foi criada a primeira lei previdenciária, do Brasil, que concedeu pensão para o companheiro homossexual. Foi também na primeira gestão de João Paulo, à frente da PCR, que se criou a lei de combate à homofobia, pela qual se passou a multar os estabelecimentos comerciais que discriminassem pessoas por se relacionarem com outras do mesmo sexo, pelos trajes que usa, acessórios, postura corporal, tonalidade da voz ou pela aparência. É a chamada "Lei do Amor Livre" (Lei nº 16.780/2002). Sob a gestão petista, um dia Recife foi vanguarda, como Pernambuco poderia ser retrocesso pelas mesmas mãos? Como então o PT pode retroceder ao ponto de ter um candidato ao governo de Pernambuco que votou contra a criação de uma Frente Parlamentar de combate à homofobia. Possível, mas inadmissível!

Reunião Solene em homenagem à AMOTRANS à requerimento da
vereadora Marília Arraes

Já Marília Arraes, contra quem o deputado Odacy Amorim pretende "bater chapa" para ser o candidato do PT ao governo de Pernambuco tem postura bem diferente e totalmente de acordo com as bandeiras da esquerda e do PT, de combate à homofobia e à transfobia. Veja-se, por exemplo, AQUI vídeo da reunião solene em homenagem aos 9 anos de fundação da Articulação e Movimento para Travestis e Transexuais de Pernambuco, convocada por requerimento da vereadora Marília Arraes.

A ALEPE não tem uma Frente Parlamentar em Defesa da Cidadania LGBT porque parlamentares retrógrados como o deputado Odacy Amorim que quer ser o candidato do PT ao governo de Pernambuco votaram sempre contra sua criação. Já a Câmara do Recife aprovou a criação da sua Frente Parlamentar em Defesa da Cidadania LGBT e foi a partir de um requerimento da vereadora Marília Arraes (Leia em Aprovada Frente Parlamentar LGBT). Foram 19 votos a favor da criação, cinco contra e duas abstenções.

Mas o intrigante no caso do deputado Odacy Amorim é que veja tanta abominação na homossexualidade ou quiçá em outros aspectos da vida pessoal de seus pares, mas que não veja pecado no que o Ministério Público Federal chamou de "desviar dinheiro da saúde" ou de "apropriação  de verbas públicas" ao tempo em que ele, sim, ele mesmo, o deputado Odacy Amorim, era prefeito de Petrolina.

Acessando AQUI, é possível confirmar que por unanimidade, o Pleno do Tribunal Regional Federal da 5.ª Região (TRF5) recebeu a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o deputado estadual em Pernambuco Odacy Amorim Souza, na qual ele é acusado de desvio de recursos públicos federais recebidos pelo município de Petrolina durante sua gestão como prefeito, nos anos de 2007 e 2008. Segundo a denúncia do MPF, quando era prefeito, Odacy Amorim firmou, em nome do município, um convênio com o Ministério da Saúde, no valor de R$ 237.511,48, destinado à aquisição de equipamentos e material permanente, bem como à reforma do Centro de Controle de Zoonoses de Petrolina.

A Construtora Renascer Ltda., vencedora do processo licitatório realizado para contratar a empresa responsável pela reforma do Centro, recebeu do município um total de R$ 93.916,89. Entretanto, ao efetuar fiscalização no local, o Ministério da Saúde constatou que houve pagamentos por serviços não realizados ou que foram executados de forma incompleta. A soma dos valores pagos indevidamente foi de R$ 9.981,10, em valores originais, o que representa mais de 10% do valor total.

O relatório de fiscalização da Controladoria-Geral da União (CGU) também apontou irregularidades, como divergências superiores a 50% entre as dimensões da obra paga pelo município e a área do serviço efetivamente realizado. Além disso, a CGU não encontrou vestígios da realização do trabalho de paisagismo e arborização de toda a área do Centro, embora o serviço tenha sido pago.

Para o MPF, o pagamento feito à empresa pelo município, com recursos oriundos do Ministério da Saúde, por execução incompleta de obra, bem como por itens executados com valores e dados divergentes do que foi efetivamente realizado, configura desvio de verba pública, crime previsto no artigo , inciso III, do Decreto-Lei nº. 201/67 (“desviar, ou aplicar indevidamente, rendas ou verbas públicas”). A pena prevista para esse delito é detenção, de três meses a três anos, além de perda de cargo e a inabilitação, pelo prazo de cinco anos, para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, sem prejuízo da reparação civil do dano causado ao patrimônio público ou particular.

O número do processo no TRF5 é 0002704-19.2014.4.05.0000 (PIMP 141 PE).

Há ainda um Inquérito ao qual Odacy Amorim respondia juntamente com o senador Fernando Bezerra Coelho por "apropriação de verbas federais" e que foi desmembrado pelo ministro Marco Aurélio passando a parte que se refere a Odacy a tramitar perante o TRF da 5ª Região (Leia AQUI).

Mais recentemente, nosso Blog divulgou a lista de Parlamentares que foram flagrados pelo TCE utilizando-se de empresas fantasmas para justificar os gastos da chamada verba indenizatória e dentre eles lá estava ninguém menos do que o moralista do Partido dos Trabalhadores, o deputado Odacy Amorim. Aliás, a deputada Teresa Leitão NÃO aparece na lista dos que se utilizaram do questionável (para dizer o mínimo) expediente, mas o deputado Odacy que posa de moralista está lá. Confiram AQUI.

Por essas e outras não acredito que a postulação do deputado Odacy Amorim à disputa pela cabeça da chapa pelo PT, ao governo do Estado se sustente, provavelmente o que ele busca é só um pouco mais de visibilidade. Pois conseguiu. 

MAIS VISITADAS DO MÊS

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos