Operação Decimus: Armas apreendidas pela PF com Coronel da PM/PE incluem pistola preparada para acoplar "silenciador" e pistola que pertencia a sargento que teria se suicidado em Goiana

Armas apreendidas pela Polícia Federal no apartamento do Tenente Coronel Percio Ferraz, principal investigado Operação Decimus. (Foto: Assessoria de Comunicação da PF/PE

Documentos obtidos com exclusividade pelo Blog da Noelia Brito, referentes ao Inquérito que investiga as atividades irregulares de empresas de segurança privada contratadas a peso de ouro por vários órgãos e empresas públicas do governo do Estado de Pernambuco e prefeituras municipais, no âmbito da Operação Decimus, da Polícia Federal e que teriam como principal investigado o Tenente Coronel Percio Ferraz, lotado na Assessoria Militar da Assembleia Legislativa de Pernambuco e apontado pelos investigadores como verdadeiro dono dessas empresas, que operariam por intermédio de "laranjas", revelam que dentre as armas apreendidas na residência de Percio Ferraz estariam uma pistola alterada para "a instalação de rosqueador para suposta utilização com supressor de ruído ('silenciador') acessório vetado pelos normativos incidentes". 

Foto meramente ilustrativa de uma pistola adaptada com "silenciador"

A revelação de que o tenente coronel Percio guardava em sua residência uma pistola pronta para receber "silenciador" consta do Ofício nº 1.293/2018 - IPL 0114/2018-4 - SR/PF/PE, assinado pelo Delegado da Polícia Federal Rodrigo Bastos de Freitas, endereçado ao Juiz Federal da 36º Vara Federal em Pernambuco Rafael Chalegre de Regos Barros, datado de 11 de abril de 2018 (apesar de termos os ofícios citados na matéria em nosso poder, deixamos de anexá-los em razão de recentes episódios em que outros veículos reproduziram nosso material sem dar os devidos créditos). Necessário de faz esclarecer o porquê de um Tenente Coronel do Corpo de Bombeiros que se encontra à disposição da Segurança a ALEPE e que é investigado por ser dono de empresa contratada para fazer segurança privada por contratos milionários (Leia em Operação Decimus: Empresa investigada por uso de documentos falsos e de "laranjas" tem contratos milionários com o Governo de Pernambuco e com Prefeituras do Recife, Olinda, Jaboatão, Ipojuca, Gravatá, Defensoria Pública e COMPESA ) precisar de uma pistola preparada para atirar com "silenciador", dispositivo, inclusive, proibido pela legislação nacional, como bem destacado pela Polícia Federal, em documentos do Inquérito:



Outro fato que chamou a atenção das autoridades a ponto de merecer destaque nos comunicados trocados entre estas dentro do referido inquérito foi relativo à Pistola Imbel, Calibre 380, série 14758 que foi apreendida na casa do Tenente Coronel Percio Ferraz, embora registrada em nome do 3º Sargento PM, Severino Eleotério de Lima, que de acordo com o Ofício nº 197/2018 - UNICOR, datado de 10 de abril de 2018 e endereçado pela Corregedoria da Secretaria de Defesa Social, assinado pelo Capitão PM Leonardo Barbosa Lima com endereçamento ao Delegado da Polícia Federal Alexandre Luiz Rollo Alves, "teria cometido suicídio em sua residência, situada em Goiana/PE, conforme BOE nº 18E013400764, registrado na Delegacia de Polícia de Goiana/PE. 



Ao comunicar os fatos ao Juiz Federal, o Delegado Federal que preside o Inquérito reiterou pedido anterior pela prisão preventiva, por considerar aqueles fatos graves a justificar o pedido. De acordo, ainda, com o ofício, em seu depoimento, o Tenente Coronel "não foi capaz de prestar qualquer esclarecimento" sobre as razões de guardar em sua residência armas sem registro válido, com registros expirados em nome de terceiras pessoas, aí incíluda a Pistola que pertencia ao 3º Sargento Severino Eleotérico que cometera suicídio, em Goiana:



LEIA TAMBÉM



MAIS VISITADAS DO MÊS

Certidão de Óbito autenticada pelo TJPE atesta morte de morador de Prazeres, em Jaboatão, Pernambuco, por coronavírus, mas SES não o inclui nas estatísticas. Secretaria silencia sobre o caso

URGENTE! Governo de Pernambuco estaria escondendo duas mortes por coronavírus. Denúncia é de policiais civis que trabalham no IML que não teriam equipamentos adequados para autópsia

Pacto Pela Morte: Delegados denunciam ordem do Governo Paulo Câmara que facilita prescrição de crimes, principalmente de homicídios, inclusive com ameaças de perseguições contra quem não aceitar prevaricar

Alunos de escola tradicional do Recife fazem apologia ao Nazismo e instituição solta nota de repúdio

Empresário que escapou de quarentena e levou covid-19 para sul da BA é filho de uma desembargadora do TJ/CE, ex-conselheira do CNJ