Ex-assessor de Eduardo da Fonte chegou a pedir interferência do pai do deputado para que não fizesse mais transporte de dinheiro e acredita que esse "foi seu fim"




O Blog teve acesso à íntegra do depoimento prestado pelo pelo ex-assessor do deputado Eduardo da Fonte à Polícia Federal, no âmbito do Inquérito 4074, que tramita no Supremo Tribunal Federal e em determinado trecho, José Expedito revela que mesmo enfrentando sério problemas de saúde e sentindo dores em razão de uma cirurgia, foi obrigado por Eduardo da Fonte, a quem conhece há pelo menos 20 anos, tendo começado a trabalhar com Eduardo da Fonte quando este ainda vendia carros em São Paulo, a viajar para o Rio de Janeiro para buscar dinheiro. Além disso, expedito conta que 'foi agredido por Eduardo da Fonte em São Paulo, após tê-lo apanhado bêbado em uma nota no bairro Itaim Bibi; que no trajeto até o Hotel Emiliano, Eduardo da Fonte desferiu dois socos na cabeça do declarante, sem qualquer motivo, fazendo com que o declarante se sentisse bastante humilhado; que acredita que essa violência gratuita tenha sido efeito da bebida."

José Expedido contou ainda à Polícia Federal que "por conta de todos esses desentendimentos, que foram se agravando ao longo do tempo, o declarante resolveu falar com o pai de Eduardo da Fonte, 'Seu Maurício Albuquerque', para que ele intercedesse junto a Eduardo da Fonte no sentido de que o declarante não mais fosse acionado para transportar dinheiro", segundo, ainda José Expedito, "esse foi o 'seu fim', pois tem convicção que será perseguido por Eduardo da Fonte temendo, inclusive por sua integridade física e de sua família"

O depoimento foi prestado perante a Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (DICOR/PF) do Grupo de Inquéritos do Supremo Tribunal Federal (GINQ), em outubro de 2016. 



Saiba mais:



MAIS VISITADAS DO MÊS

Certidão de Óbito autenticada pelo TJPE atesta morte de morador de Prazeres, em Jaboatão, Pernambuco, por coronavírus, mas SES não o inclui nas estatísticas. Secretaria silencia sobre o caso

URGENTE! Governo de Pernambuco estaria escondendo duas mortes por coronavírus. Denúncia é de policiais civis que trabalham no IML que não teriam equipamentos adequados para autópsia

Pacto Pela Morte: Delegados denunciam ordem do Governo Paulo Câmara que facilita prescrição de crimes, principalmente de homicídios, inclusive com ameaças de perseguições contra quem não aceitar prevaricar

Empresário que escapou de quarentena e levou covid-19 para sul da BA é filho de uma desembargadora do TJ/CE, ex-conselheira do CNJ

Direita já se organiza para derrubar Bolsonaro, o louco. Frota protocola impeachment e Janaina decreta: "esse senhor tem que sair"