Jungmann aponta atuação de milícias como hipótese para assassinato de Marielle Franco

Foto Reprodução



Pouco mais de um mês após o assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (Psol), o ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que a atuação de milicianos é a principal hipótese apontada pela Polícia Civil para a execução da vereadora e de seu motorista Anderson Gomes.

“Hoje o foco, como já disse o secretário de Segurança, Richard Nunes, se concentra relacionado às milícias. Os detalhes eu nem pergunto porque, numa investigação como esta, há um limite para você pressionar as equipes”, disse o ministro em entrevista à Rádio CBN na manhã desta segunda-feira (16).

O ministro ressaltou que a vereadora fazia a ponte entre o atual chefe da Polícia Civil do Rio, Rivaldo Barbosa, e o deputado Marcelo Freixo, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio.

Sobre a demora na apuração do crime, Jungman citou outros casos que foram concluídos com 60 e até 90 dias, como o desaparecimento do pedreiro Amarildo, em 2013, que levou 90 dias para ser desvendado, e o assassinato da juíza Patricia Accioli, em 2011, que demorou 60 dias. O crime completou um mês no sábado (14), sem que nenhum suspeito tenha sido identificado.



O ministro afirmou que a apuração do caso analisou todas as possibilidades. “Quando você começa a investigar um caso desses, você trabalha com todas as possibilidades: a passional, uma desavença, um crime político. Você trabalha com um enorme conjunto e vai fechando, criando um foco”, ponderou. De acordo com ele, uma das linhas de investigação está praticamente concluída.







MAIS VISITADAS DO MÊS

Certidão de Óbito autenticada pelo TJPE atesta morte de morador de Prazeres, em Jaboatão, Pernambuco, por coronavírus, mas SES não o inclui nas estatísticas. Secretaria silencia sobre o caso

URGENTE! Governo de Pernambuco estaria escondendo duas mortes por coronavírus. Denúncia é de policiais civis que trabalham no IML que não teriam equipamentos adequados para autópsia

Pacto Pela Morte: Delegados denunciam ordem do Governo Paulo Câmara que facilita prescrição de crimes, principalmente de homicídios, inclusive com ameaças de perseguições contra quem não aceitar prevaricar

Alunos de escola tradicional do Recife fazem apologia ao Nazismo e instituição solta nota de repúdio

Empresário que escapou de quarentena e levou covid-19 para sul da BA é filho de uma desembargadora do TJ/CE, ex-conselheira do CNJ