Operação Perro: PF dá detalhes da prisão de pedófilo que chantageada vítimas para que produzissem vídeos fazendo sexo com irmãos menores e até com animais. Pernambucano já havia sido condenado pelo mesmo crime

Imagem: Assessoria de Comunicação da PF/PE
A Polícia Federal em Pernambuco, através do Grupo de Repressão a Crimes Cibernéticos-GRCC, deflagrou na manhã do dia 19/04/2018 por volta das 6h - a “Operação Perro” e conseguiu prender um agente administrativo de 27 anos, natural de Recife/PE e residente no bairro da Imbiribeira-Recife/PE que constrangia adolescentes mediante grave ameaça a praticar atos libidinosos com animais - bestialismo e registrar tais atos em vídeo. O pedófilo também constrangia os menores a praticar atos libidinosos com seus irmãos também menores. Ao todo, 10 (dez) policiais federais, distribuídos em 02 (duas) equipes deram cumprimento 01 (um) Mandado de Prisão Preventiva e 02 (dois) de Mandado de Busca e Apreensão, situados Rua Jorge de Lima–Imbiribeira-Recife/PE e Rua Doutor Gaspar Regueira Costa-Boa Viagem-Recife/PE, com o objetivo de apreender quaisquer computadores e equipamentos eletrônicos e mídias digitais com potencial de armazenamento de imagens e vídeos que contenham material com pornografia infantil. 

A investigação teve origem a partir de informações oriundas do Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas-EUA e que foram repassadas para a Polícia Federal no Brasil através de relatórios que davam conta da existência de ocorrências relacionadas à difusão e armazenamento de material pornográfico infanto-juvenil na internet. A informação apontava que um suspeito estava utilizando vários perfis falsos no Facebook e através de conversas via Messenger aliciava menores para que eles produzissem e lhe enviassem material pornográfico infantil (em geral adolescentes do sexo masculino) e para isso o criminoso fingia ser uma mulher, pedindo fotos e vídeos de suas vítimas, passando a idéia de que, em momento posterior, “tal mulher” também os enviaria imagens “dela” nua em troca das deles com a promessa de fazer sexo com os adolescentes.

Após conseguir as fotos (nudes) dos adolescentes, o suspeito começava a chantagear as vítimas, ameaçando postar o material delitivo em sites de pornografia ou enviá-lo para pessoas conhecidas de seu vínculo de amizade, caso não fossem obedecidas as suas ordens! Durante as investigações ficou claro que o seu intento era também obrigar alguns adolescentes a registrar fotos e vídeos deles fazendo sexo com seus cachorros e gatos ou molestando seus irmãos menores. No total foram 123 (cento e vinte e três) vítimas menores no Brasil e no exterior chegaram a transmitir arquivos de imagem e/ou vídeo contendo material pornográfico para os 5 (cinco) perfis falsos criados por ele se passando por uma pessoa do sexo feminino. Em setembro de 2014 o mesmo suspeito já havia sido preso pela Polícia Civil praticando a mesma modalidade criminosa e extorquindo um adolescente a pagar R$ 500 reais para que não fosse divulgado os conteúdos pornográficos por ele adquirido. Verificou-se também que mesmo cumprindo pena em regime semi-aberto ele chegou a praticar os crimes ora investigados a partir do Presídio Agroindustrial São João-PAISJ-Itamaracá/PE. Tendo sido condenado a 9 anos e 2 meses de reclusão (tendo cumprido 2 anos e 6 meses) pelos crimes cometidos estando atualmente cumprindo pena em regime aberto.

Imagem: PF.PE
No momento da prisão, o suspeito teve o seu celular apreendido e através de uma perícia preliminar onde ficou constatada a existência de inúmeras fotos e vídeos de pornografia infantil bem como registros do suspeito orientando os jovens a fazerem poses de situações eróticas e pornográficas, através de um aplicativo de gravação ao vivo. Consta também registros feitos no celular de jovens em conteúdos pornográficos, 3 (três) horas antes de sua prisão - o que demonstra a prática diária de tais condutas criminosas. O assistente administrativo foi autuado em flagrante pelos crimes constantes na Lei 8.069/90 - Estatuto da Criança e do Adolescentes tipificado no artigo 240 e 241-B no que se refere a produção, direção, registro, transmissão, publicação, divulgação e armazenamento de cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. Também está sendo analisado os crimes de estupro virtual de vulnerável previstos nos artigos 217-A do Código Penal – que consiste em constranger menor de 14 anos mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ato libidinoso, cujas penas somadas ultrapassam os 20 anos de reclusão! Após a autuação, o preso realizou Exame de Corpo de Delito no IML-Instituto de Medicina Legal, passou pela audiência de custódia no dia 20/04/2018 onde foi CONFIRMADA A SUA PRISÃO PREVENTIVA para em seguida ser conduzido para o COTEL- Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna, onde ficará à disposição da Justiça Federal/PE. 

Imagem: PF/PE
Em seu interrogatório o preso admitiu ter criado os perfis falsos com vistas a aliciar menores para que eles produzissem sob sua supervisão e lhe enviassem material contendo pornografia infantil deles mesmos, Disse também que depois de ver algumas vezes os vídeos sempre deletava os vídeos e as fotos que os garotos encaminhavam e que chegou a chantagear poucas vítimas – já com relação à quantidade de vítimas que chegaram a praticar atos libidinosos com cachorros, gatos ou outros animais, preferiu ficar calado, mas disse que nenhuma das vítimas chegou a molestar irmãos menores e nem fizeram sexo com cachorros ou gatos, mas apenas esfregava o seu órgão genital nas partes íntimas dos animais. As investigações continuarão para identificar possíveis vítimas dos crimes de estupro (art. 213 do CP) e de estupro de vulnerável (art. 217-A do CP), ambos na modalidade virtual.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Certidão de Óbito autenticada pelo TJPE atesta morte de morador de Prazeres, em Jaboatão, Pernambuco, por coronavírus, mas SES não o inclui nas estatísticas. Secretaria silencia sobre o caso

URGENTE! Governo de Pernambuco estaria escondendo duas mortes por coronavírus. Denúncia é de policiais civis que trabalham no IML que não teriam equipamentos adequados para autópsia

Pacto Pela Morte: Delegados denunciam ordem do Governo Paulo Câmara que facilita prescrição de crimes, principalmente de homicídios, inclusive com ameaças de perseguições contra quem não aceitar prevaricar

Alunos de escola tradicional do Recife fazem apologia ao Nazismo e instituição solta nota de repúdio

Empresário que escapou de quarentena e levou covid-19 para sul da BA é filho de uma desembargadora do TJ/CE, ex-conselheira do CNJ