Assediador de mulher russa foi preso na Operação Paradise da Polícia Federal que desarticulou organização criminosa que fraudava licitações em governo do PSB em Araripina, município de Pernambuco

19 de jun. de 2018

/ by Blog da Noelia Brito

O Intercept Brasil identificou como sendo Luciano Gil Mendes Coelho, o homem que aparece de camisa preta no vídeo em que um grupo de brasileiros assedia sexualmente com palavras de baixo calão uma mulher russa durante a Copa no país de Putin.

De acordo com o Intercept Brasil, a identificação foi fruto de um trabalho investigativo das repórteres Nayara Azevedo e Nathália Amaral que descobriram que Luciano Gil já foi preso pela Polícia Federal na Operação Paradise realizada em 2015, pela Polícia Federal e que desarticulou um esquema de dinheiro público mediante fraudes em licitações  na Prefeitura de Araripina, então governada pelo prefeito Alexandre Arraes, do PSB (Leia o que publicamos sobre a Operação Paradise em Blog Araripina Fatos em Fotos revela, com exclusividade, "fotoshop" usado pelo esquema criminoso montado na Prefeitura de Araripina,do PSB, para fraudar SIMEC).

Ainda segundo o Intercept Brasil,  Luciano Gil é engenheiro e tinha cargo na prefeitura de Jaicós, no Piauí e é ex-inspetor do CREA naquele Estado.






Segundo "O Globo", a "Paradise" foi uma Operação conjunta da Polícia Federal (PF) com a Controladoria Geral da União (CGU), que tinha como objetivo desarticular esquema de desvio de dinheiro público na Prefeitura de Araripina. Segundo a investigação, o grupo desviava dinheiro público, repasse do Ministério da Educação, que deveria ser usado para a construção creches e escolas e quadras esportivas. Segundo a PF, o grupo de aliados do ex-prefeito Alexandre Arraes (PSB) fraudava licitações para que as empresas dos parentes e até laranjas do grupo fossem beneficiadas. No quadro societário das empresadas há empregados domésticos e parentes dos envolvidos nos vencedores das obras. O esquema envolvia as empresas vencedoras e as perdedoras que entravam na briga apenas para perder. As perdedoras ofereciam descontos típicos de quem não disputava realmente a concorrência.

Seguno "O Globo", Luciano Gil
já teria exercido cargos de secretário
de Educação e de Saúde no Piauí
Na nota divulgada na época, a polícia federal explicava o esquema assim: “Após a licitação, com a assinatura do contrato, não é a empresa vencedora que executa a obra, mas sim as empresas de Paulo Arraes e de Ricardo Arraes (irmãos do prefeito de Araripina) que executam as obras. Não há pagamento dos encargos sociais (não há recolhimento do INSS e do FGTS); as obras se protraem no tempo, no intuito de se conseguir mais e mais aditivos contratuais, sempre com a intenção de lucrar mais. Serviços não são executados, porém são pagos; algumas vezes pagos em duplicidade. Os engenheiros da prefeitura inserem dados falsos (fotografias e atestes de medições nos sistemas do FNDE) – tudo para liberar os recursos federais.”

Por causa dessa prisão, o Ministério Público (MP) entrou com uma ação de improbidade administrativa contra o grupo. Luciano é dono de uma empresa de construção.

Um outro vídeo também se tornou viral nas redes sociais nessa terça-feira. Nas imagens, brasileiros pedem que mulheres repitam frases de cunho sexual. Um dos autores da gravação é Felipe Wilson, supervisor de vôos da LATAM, em Guarulhos. A companhia aérea confirmou em seu Twitter que trata-se de um colaborador.

Ainda nesta terça-feira, a Polícia Militar de Santa Catarina confirmou que outro brasileiro no vídeo é o tenente Eduardo Nunes, que serve em Lages (SC).


Chama atenção o fato de que o primeiro identificado dentre os assediadores também tivesse ligações com o PSB de Pernambuco, do qual chegou a ser filiado. Trata-se do advogado Diego Valença Jatobá, que é ex-secretário de Turismo, Esporte e Cultura de Ipojuca, na Região Metropolitana de Pernambuco, e foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) por irregularidades na prestação de contas de 2012 do município, por infringir o artigo 89 da Lei de Licitações, que fala sobre a dispensa de licitação de contratos fora das hipóteses previstas na lei. De acordo com o tribunal, foram gastos R$ 2,2 milhões em 12 processos de inexigibilidade para a contratação de atrações artísticas pela Prefeitura de Ipojuca, onde fica a praia de Porto de Galinhas. Outra irregularidade apontada pelo TCE-PE é que os empresários contratados em todos os processos são para uma data e local e não exclusivos para o artista ou banda.

Ainda de acordo com o tribunal, em nenhum dos processos consta a inscrição dos artistas ou bandas na Delegacia Regional do Trabalho, conforme a lei federal que regula a profissão de artistas. Por fim, o órgão apontou ainda que não houve justificativa para os preços praticados no contrato. O ex-secretário também foi acusado de improbidade administrativa. Jatobá e outros três secretários foram condenados a pagar multa individual de R$ 4.788,63.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021