Assediador de mulher russa foi preso na Operação Paradise da Polícia Federal que desarticulou organização criminosa que fraudava licitações em governo do PSB em Araripina, município de Pernambuco


O Intercept Brasil identificou como sendo Luciano Gil Mendes Coelho, o homem que aparece de camisa preta no vídeo em que um grupo de brasileiros assedia sexualmente com palavras de baixo calão uma mulher russa durante a Copa no país de Putin.

De acordo com o Intercept Brasil, a identificação foi fruto de um trabalho investigativo das repórteres Nayara Azevedo e Nathália Amaral que descobriram que Luciano Gil já foi preso pela Polícia Federal na Operação Paradise realizada em 2015, pela Polícia Federal e que desarticulou um esquema de dinheiro público mediante fraudes em licitações  na Prefeitura de Araripina, então governada pelo prefeito Alexandre Arraes, do PSB (Leia o que publicamos sobre a Operação Paradise em Blog Araripina Fatos em Fotos revela, com exclusividade, "fotoshop" usado pelo esquema criminoso montado na Prefeitura de Araripina,do PSB, para fraudar SIMEC).

Ainda segundo o Intercept Brasil,  Luciano Gil é engenheiro e tinha cargo na prefeitura de Jaicós, no Piauí e é ex-inspetor do CREA naquele Estado.






Segundo "O Globo", a "Paradise" foi uma Operação conjunta da Polícia Federal (PF) com a Controladoria Geral da União (CGU), que tinha como objetivo desarticular esquema de desvio de dinheiro público na Prefeitura de Araripina. Segundo a investigação, o grupo desviava dinheiro público, repasse do Ministério da Educação, que deveria ser usado para a construção creches e escolas e quadras esportivas. Segundo a PF, o grupo de aliados do ex-prefeito Alexandre Arraes (PSB) fraudava licitações para que as empresas dos parentes e até laranjas do grupo fossem beneficiadas. No quadro societário das empresadas há empregados domésticos e parentes dos envolvidos nos vencedores das obras. O esquema envolvia as empresas vencedoras e as perdedoras que entravam na briga apenas para perder. As perdedoras ofereciam descontos típicos de quem não disputava realmente a concorrência.

Seguno "O Globo", Luciano Gil
já teria exercido cargos de secretário
de Educação e de Saúde no Piauí
Na nota divulgada na época, a polícia federal explicava o esquema assim: “Após a licitação, com a assinatura do contrato, não é a empresa vencedora que executa a obra, mas sim as empresas de Paulo Arraes e de Ricardo Arraes (irmãos do prefeito de Araripina) que executam as obras. Não há pagamento dos encargos sociais (não há recolhimento do INSS e do FGTS); as obras se protraem no tempo, no intuito de se conseguir mais e mais aditivos contratuais, sempre com a intenção de lucrar mais. Serviços não são executados, porém são pagos; algumas vezes pagos em duplicidade. Os engenheiros da prefeitura inserem dados falsos (fotografias e atestes de medições nos sistemas do FNDE) – tudo para liberar os recursos federais.”

Por causa dessa prisão, o Ministério Público (MP) entrou com uma ação de improbidade administrativa contra o grupo. Luciano é dono de uma empresa de construção.

Um outro vídeo também se tornou viral nas redes sociais nessa terça-feira. Nas imagens, brasileiros pedem que mulheres repitam frases de cunho sexual. Um dos autores da gravação é Felipe Wilson, supervisor de vôos da LATAM, em Guarulhos. A companhia aérea confirmou em seu Twitter que trata-se de um colaborador.

Ainda nesta terça-feira, a Polícia Militar de Santa Catarina confirmou que outro brasileiro no vídeo é o tenente Eduardo Nunes, que serve em Lages (SC).


Chama atenção o fato de que o primeiro identificado dentre os assediadores também tivesse ligações com o PSB de Pernambuco, do qual chegou a ser filiado. Trata-se do advogado Diego Valença Jatobá, que é ex-secretário de Turismo, Esporte e Cultura de Ipojuca, na Região Metropolitana de Pernambuco, e foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) por irregularidades na prestação de contas de 2012 do município, por infringir o artigo 89 da Lei de Licitações, que fala sobre a dispensa de licitação de contratos fora das hipóteses previstas na lei. De acordo com o tribunal, foram gastos R$ 2,2 milhões em 12 processos de inexigibilidade para a contratação de atrações artísticas pela Prefeitura de Ipojuca, onde fica a praia de Porto de Galinhas. Outra irregularidade apontada pelo TCE-PE é que os empresários contratados em todos os processos são para uma data e local e não exclusivos para o artista ou banda.

Ainda de acordo com o tribunal, em nenhum dos processos consta a inscrição dos artistas ou bandas na Delegacia Regional do Trabalho, conforme a lei federal que regula a profissão de artistas. Por fim, o órgão apontou ainda que não houve justificativa para os preços praticados no contrato. O ex-secretário também foi acusado de improbidade administrativa. Jatobá e outros três secretários foram condenados a pagar multa individual de R$ 4.788,63.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Durante julgamentos de interesse da gestão Geraldo Julio, um dos quais envolvendo a Casa de Farinha, Conselheiros do TCE/PE perdem a calma, gritam e interrompem Procuradora que combate a corrupção no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife

Exclusivo: TJPE determina afastamento do Prefeito de Paulista, Junior Matuto, a pedido do Dracco, por desvios de R$ 21 milhões em PPP do lixo com a empresa Locar

"Grampos" da Operação Locador, do DRACCO, mostram temor de investigados de que chefões da gestão Matuto lhes fizessem "mal" e espanto com pagamentos em dinheiro vivo feitos pelo prefeito na compra de terrenos

É tetra! Prefeitura do Recife recebe a quarta "visita" da Polícia por fraudes na pandemia, desta vez foi a DECOT. A prefeitura nega envolvimento