Dodge pede a Fachin que envie inquérito que investiga Humberto Costa no Petrolão para Sergio Moro



A Procuradora Geral da República Raquel Dodge pediu ao Ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, que o Inquérito 3985, que investiga o senador Humberto Costa e seu amigo Mário Barbosa Beltão, por suposto recebimento de propina de R$ 1 milhão da Odebrecht, no chamado "Petrolão", fosse enviado à 13ª Vara Federal no Paraná, por ser a Vara presidida pelo Juiz Sergio Moro preventa para processar todos os inquéritos e ações da Operação Lava Jato quando envolvem pessoas sem foro privilegiado.









De acordo com Dodge, "no caso dos autos, o suposto crime de corrupção envolvendo o senador Humberto Costa teria ocorrido em 2010, quando ainda não tinha tomado posse nesse cargo, fato que só veio a ocorrem em 1º de fevereiro de 2011", em razão da recente decisão do Plenário do STF, na questão de ordem na Ação Penal 937, limitando a prerrogativa do foro privilegiado de parlamentares para as hipóteses em que os crimes investigados tenham sido cometidos durante e em razão do mandato.

Após ouvir a defesa de Humberto Costa e de Mário Beltrão, Fachin devolveu a palavra à Procuradora Geral da República, Raquel Dodge para se manifestar sobre os argumentos contrários da defesa dos investigados, para em seguida se pronunciar.

Leiam uma das delações que instruem o Inquérito:



MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Durante julgamentos de interesse da gestão Geraldo Julio, um dos quais envolvendo a Casa de Farinha, Conselheiros do TCE/PE perdem a calma, gritam e interrompem Procuradora que combate a corrupção no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife

Exclusivo: TJPE determina afastamento do Prefeito de Paulista, Junior Matuto, a pedido do Dracco, por desvios de R$ 21 milhões em PPP do lixo com a empresa Locar

"Grampos" da Operação Locador, do DRACCO, mostram temor de investigados de que chefões da gestão Matuto lhes fizessem "mal" e espanto com pagamentos em dinheiro vivo feitos pelo prefeito na compra de terrenos

É tetra! Prefeitura do Recife recebe a quarta "visita" da Polícia por fraudes na pandemia, desta vez foi a DECOT. A prefeitura nega envolvimento