Datamétrica: Marília venceria Paulo ou Armando no segundo Turno. No primeiro, lidera em empate técnico com Paulo. Sem Marília, votos migrariam para Armando

Pesquisa Datamétrica aponta vitória de Marília Arraes no Segundo Turno contra qualquer candidatos (Fonte: Diário de Pernambuco, 17/07/2018)


Confirmando nossos prognósticos, a pesquisa Datamérica divulgada na edição de hoje (17), do Diário de Pernambuco, revela que a vereadora do Recife, Marília Arraes aparece liderando a disputa para o governo de Pernambuco, em empate técnico com o atual governador de pernambuco e candidato à reeleição, Paulo Câmara, seguidos por Armando Monteiro, em terceiro.

O desempenho da vereadora do PT impressiona, já que seu favoritismo se confirma apesar das movimentações de alguns integrantes do próprio PT para atrasarem a confirmação de sua pré-candidatura, gerando, por vezes, um clima de incerteza na militância, que se não fosse por isso, já teria colocado o bloco na rua, garantindo a Marília não apenas um empate técnico, mas a liderança isolada na preferência do eleitorado pernambucano.

Fonte: Diário de Pernambuco, 17/07/2018

De acordo com a Datamétrica, Paulo Câmara, que governa Pernambuco há três anos e meio, teria, na espontânea, 13%, ao passo que Marília Arraes, sem jamais ter disputado uma eleição majoritária ou mesmo qualquer eleição fora do Recife, já é lembrada por nada menos do que 11% do eleitorado. Já Armando Monteiro, que além de ser senador, disputou o governo na eleição passada, perdendo para Paulo Câmara, só é lembrado, na espontânea, por 6% do eleitorado. É importante mencionar que a pesquisa espontânea é aquela em que o eleitor lembra de cabeça o nome do candidato em quem votaria, sem uma lista predefinida, daí porque os números apresentados por Marília Arraes serem impressionantes em relação àqueles marcados para Paulo Câmara e Armando Monteiro. Na pesquisa espontânea, Marília Arraes apresenta o maior crescimento entre os pré-candidatos, considendo-se as duas pesquisas da Datamétricas, sendo a primeira realizada entre os dias 8 e 9 de junho e esta última entre os dias 11 e 12 de julho, tendo saltado de 8% para 11%, ao passo que Paulo Câmara variou de 12% para 13%, ao passo que Armando Monteiro subiu de 4% para 6% no mesmo período. 

Já na pesquisa estimulada, ou seja, naquela em que é apresentada uma lista predefinida para escolha dos entrevistados, Paulo Câmara aparece na Datamétrica com 25%, ao passo que Marília apresenta 21% da preferência dos entrevistados, em empate técnico dentro da margem de erro da pesquisa que é de 4%, seguidos por Armando Monteiro em terceiro, com 17%.

No Segundo Turno, Marília bateria tanto Paulo Câmara quanto Armando monteiro, aponta ainda a Datamétrica. Contra Paulo Câmara que teria 30%, num segundo Turno, Marília chegaria a 34%. Já numa disputa contra Armando Monteiro que teria 29%, Marília obteria 31%. Já numa disputa entre Armando Monteiro e Paulo Câmara, os dois empatariam, ambos aparecendo com 32%.

Fonte: Diário de Pernambuco, 17/07/2018
Um dado interessante diz respeito à migração de votos dos eleitores de Marília Arraes que não iriam para Paulo Câmara e sim para Armando Monteiro, demonstrando o forte sentimento de rejeição contra a continuidade do governo atual. De acordo com a Datamétrica, o maior beneficiário da saída da candidata do PT da disputa seria Armando Monteiro que passaria a liderar com 33%, seguido de Paulo Câmara com 13%, que não herdaria nenhum voto, mantendo-se, portanto, no mesmo patamar, passando a candidata do PSOL, Dani Portela, que tinha zerado na pesquisa à terceira posição, com 4%, Julio Lossio com 3% e Coronel Meira com 3%, ambos herdado 1%.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

Desembargador extingue reclamação do Estado de Pernambuco contra decisão do Juiz que mandou suspender retorno das aulas presenciais