Em Machados, Grupo Político com integrantes de cinco Partidos declara apoio a Marília Arraes

Grupo Político de Machados declara apoio à pré-candidatura
 de Marília Arraes ao governo de Pernambuco

O Portal Machadense revelou, ontem, que Grupo Político de vereadores e suplentes de Machados, pertencentes a pelo menos cinco Partidos diferentes, teriam declarado apoio à pré-candidatura da vereadora do Recife, Marília Arraes, do PT, ao governo de Pernambuco, após encontro com a pré-candidata (foto), ocorrido em seu gabinete.

Ainda segundo o Portal, o Grupo Político seria integrado pelos vereadores Luciano da Funerária (PSC), Silvinho da Banana (PTB) e pelos suplentes Viviane Moraes (PTB), Dennys de Mané do Radio (Patriotas), Tete Anastacio (PTB), Manezinho de Pedro (Solidariedade) e o ex-vereador João Moraes (PR).

O presidente do PR de Machados, Adolfo Amair, também esteve presente ao encontro, juntamente com assessores da pré-candidata que durante a conversa ficou de agendar uma visita ao Município.


MAIS VISITADAS DO MÊS

Durante julgamentos de interesse da gestão Geraldo Julio, um dos quais envolvendo a Casa de Farinha, Conselheiros do TCE/PE perdem a calma, gritam e interrompem Procuradora que combate a corrupção no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife

Exclusivo: TJPE determina afastamento do Prefeito de Paulista, Junior Matuto, a pedido do Dracco, por desvios de R$ 21 milhões em PPP do lixo com a empresa Locar

"Grampos" da Operação Locador, do DRACCO, mostram temor de investigados de que chefões da gestão Matuto lhes fizessem "mal" e espanto com pagamentos em dinheiro vivo feitos pelo prefeito na compra de terrenos

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

PF volta à Prefeitura do Recife em mais duas Operações por desvios de recursos públicos na pandemia: Bal MAsqué e Apneia III. Diretor Financeiro é afastado do cargo pro pagar mais de R$ 7 milhões por produtos jamais entregues