Maurício Rands encabeça nova chapa lançada pela oposição, com Silvio Costa como senador



Nos últimos instantes para o fechamento da chapas e alianças entre os Partidos que irão participar das eleições deste ano, PROS, PDT e Avante lançaram uma chapa para concorrer ao governo de Pernambuco e disputar os votos que ficaram órfãos com a retirada da candidatura da vereadora Marília Arraes, pela Direção Nacional do PT, em troca de uma vaga para Humberto Costa na chapa de Paulo Câmara.

O cargo de governador será disputado pelo ex-deputado federal pelo PT, Maurício Rands, hoje filiado ao PROS. A ex-vereadora do Recife, Isabela de Roldão será a vice, pelo PDT e o deputado federal Silvio Costa será candidato ao Senado. O vereador do Recife Jayme Asfora que recentemente deixou o MDB para se filiar ao PROS, chegou a ter o nome anunciado como candidato à segunda vaga no Senado, mas teria declinado após sofrer pressões de Geraldo Júlio de quem foi secretário até bem pouco tempo e de Paulo Câmara.

A montagem da chapa foi articulada por Silvio Costa que em nota enviada no final da noite de ontem revelou que passou os últimos quatro dias enfrentando "a máquina do governo e lamentavelmente a da oposição. Segundo Silvio Costa, ambos, governo e oposição, queriam evitar a candidatura dele ao Senado, tentando fazer com ele "o que fizeram com esta jovem mulher brasileira Marília Arraes", a quem qualificou como "determinada, competente e preparada" e "uma revelação da política brasileira>

Para Silvio Costa, a retirada da candidatura de Marília Arraes foi "a operação política mais nojenta da política Pernambucana realizada por este governo do PSB investigado em sete operações da policia federal e pelo senador Humberto Costa também investigado na lava- jato."

Por sua vez, Maurício Rands, ao Estadão, lembrou ter sido vítima do mesmo expediente utilizado pelo PT contra a candidatura de Marília Arraes, quando, ainda filiado ao PT, tentou ser candidato à prefeitura do Recife em 2012. Naquele ano, o PT ignorou as prévias disputadas entre Maurício Rands e João da Costa, naquele momento Prefeito da Capital, para impor o nome de Humberto Costa como candidato, quando Geraldo Júlio, levou a eleição no primeiro turno ficando Humberto Costa, que tinha João Paulo na vice, em terceiro lugar, atrás de Daniel Coelho, na época candidato pelo PSDB.

A chapa surge para dar palanque a Ciro Gomes, apoiado pelo PDT e para Lula, apoiado pelo PROS e pelo Avante. O Pros é o único Partido em Pernambuco que integra a chapa presidencial de Lula com apoio oficial, já que integra a coligação nacional formada por PT, PROS e PCO. PSB e PC do B apesar de terem anunciado apoio, não formalizaram participação na coligação, não tendo seus tempos de televisão somados ao do PT.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Desembargador extingue reclamação do Estado de Pernambuco contra decisão do Juiz que mandou suspender retorno das aulas presenciais

Exclusivo: Geraldo Julio deixou de pagar mais de R$ 8,2 milhões devidos à Reciprev referentes a contribuições previdenciárias dos inativos da PCR, aponta Auditoria do TCE/PE