Alvo da Operação Castelo de Farinha, Romero Pontual Filho se entrega e já está preso no COTEL. Empresário é dono da Casa de Farinha e estava foragido




A Polícia Civil de Pernambuco divulgou ontem que o empresário Romero Pontual Filho, sócio majoritário da Casa de Farinha, empresa investigada por vencer uma licitação na cidade de Ipojuca mediante fraudes, ameaças e tentativas de suborno contra os demais licitantes, já se encontra preso no Cotel, em Abreu e Lima, para onde foi encaminhado após se apresentar à Decasp. Romerinho, como é conhecido no meio político e empresarial, por ser filho de um dos principais nomes do PSB de Pernambuco, o ex-superintendente da Ceasa, Romero Pontual, estava em Miami quando sua ordem de prisão foi decretada pela Justiça Estadual.

No Cotel, Romerinho se junta a Nelson Canizza, também empresário e preso na mesma Operação e ao empresário Ricardo Padilha, preso preventivamente e que já foi denunciado pelo MPF sob a acusação de comandar uma organização criminosa especializada em fraudar licitações em vários órgãos do Governo de Pernambuco, especialmente na Casa Militar, desviando recursos das vítimas das enchentes e que foi alvo, por sua vez, da Operação Torrentes. O pai de Romerinho chegou a ser alvo de um mandado de condução coercitiva na Torrentes e se encontra com os bens bloqueados a pedido do MPF, naquela Operação, por atos praticados quando ainda dirigia a CEASA no governo Eduardo Campos.

Para entender o caso leia:

MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

É tetra! Prefeitura do Recife recebe a quarta "visita" da Polícia por fraudes na pandemia, desta vez foi a DECOT. A prefeitura nega envolvimento

Casa de Papel: ex-Gerente Geral da Secretaria de Governo de Geraldo Júlio é suspeito de intermediar contratos milionários da ALEPE com empresas de fachada "especializada em lavagem de dinheiro", aponta PF