FORÇA-TAREFA DO MPPE VAI INVESTIGAR CORRUPÇÃO NA PREFEITURA DO RECIFE, DO CABO E DE IPOJUCA.


Desconfiado de que extinção da Decasp é para blindar corruptos ligados ao governo, MPPE cria força-tarefa para investigar corrupção na Prefeitura do Recife, do Cabo e de Ipojuca. A Portaria, publicada no Diário Oficial do MPPE, de hoje (9), será formada pelos promotores de Justiça Helena Martins Gomes e Silva, da 14a Promotora de Justiça Criminal da Capital, especializada no Combate aos Crimes Contra a Administração Pública, Henrique do Rego Maciel Souto Maior, 1o Promotor de Justiça Criminal do Cabo de Santo Agostinho, Alice de Oliveira Morais, 2a Promotora de Justiça de Defesa da Cidadania do Cabo de Santo Agostinho, responsáveis pelo desencadeamento da Operação Ghost junto com a Decasp e Bianca Stella Azevedo Barroso, 2a Promotora de Justiça Cível de Ipojuca, responsável pela Operação Castelo de farinha, que juntamente com a Decasp, prendeu ORCRIM tendo à frente a Casa de Farinha e seus donos, especializada em fraudar licitações mediante suborno e ameaças para comporem. 
A Força-Tarefa recebeu o nome de Grupo de Atuação Criminal Especial (GACE) e sua criação se deu a partir de Formulário de Requerimento encaminhado pelo CAOP Criminal, os quais versam sobre supostas práticas de crimes contra a administração pública, em tramitação nos municípios do Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca e Recife.
Promotor de Justiça Luís Sávio Loureiro da Silveira, Coordenador do CAOP Criminal, foi designado para exercer a coordenação do GACE,
Leiam a Portaria publicada no Diário Oficial de hoje: 
PORTARIA POR-PGJ No 2.239/2018
Recife, 8 de novembro de 2018

O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais, previstas no 9o, inc. V, da Lei Complementar no 12, de 27 de dezembro de 1994 e Resolução RES-PGJ 004, de 09 de fevereiro de 2018;
CONSIDERANDO a comunicação do CAOP Criminal, com os fatos e motivos justificados, em observância ao disposto no art. 9o, § 3o, da Resolução PGJ no 004/2018;
CONSIDERANDO o interesse público relevante e indisponível; CONSIDERANDO a necessidade e a conveniência do serviço; RESOLVE:
Art. 1o Instituir o Grupo de Atuação Criminal Especial (GACE) para atuação nos procedimentos administrativos relacionados no Formulário de Requerimento encaminhado pelo CAOP Criminal, os quais versam sobre supostas práticas de crimes contra a administração pública, em tramitação nos municípios do Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca e Recife.
Art. 2o Designar os Membros c
Art. 3o Designar o Promotor de Justiça Luís Sávio Loureiro da Silveira, Coordenador do CAOP Criminal, para exercer a coordenação do GACE, em conformidade com o disposto no art. 9o, § 3o, da Resolução PGJ no 004/2018.
Art. 4o Designar o Promotor de Justiça Maviael de Souza Silva, Coordenador do CAOP Patrimônio Público para acompanhar as atividades do Grupo em questão e prestar os suportes técnico e administrativo necessários, em conjunto com o Coordenador do CAOP Criminal.
Art. 5o A presente Portaria produzirá efeitos por 120 dias, retroativos ao dia 07/11/2018.
Publique-se. Registre-se. Cumpra-se.

FRANCISCO DIRCEU BARROS
Procurador Geral de Justiça

MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

Contrato da iluminação pública de Olinda leva à condenação da vice-governadora de Pernambuco e ex-prefeita do município por improbidade administrativa com suspensão dos direitos políticos por seis anos

Corruptocracia Pernambucana: Prefeito com tornozeleira é recebido com festa ao retornar ao cargo depois de desviar quase cem milhões da Previdência. Veja o vídeo

STF derruba sigilo de gastos da Presidência e Bolsonaro terá que mostrar faturas milionárias do cartão corporativo

Cabos da PM/PE denunciam que governo de Pernambuco só promove oficiais: "Quanta injustiça numa única corporação!"