POLÍCIA FEDERAL DESCOBRE POSSÍVEIS IRREGULARIDADES ENVOLVENDO UNINASSAU E MEC E MPF/PE INSTAURA PROCEDIMENTO PARA INVESTIGAR DENÚNCIA



Por meio da Portaria de Instauração nº 161/2018, no Procedimento Preparatório nº 1.26.000.01216/2018-68, assinada pelo Procurador da República Alfredo Carlos Gonzaga Falcão Junior, a Procuradora da República em Pernambuco determinou a instauração do  Inquérito Civil no 1.26.000.001216/2018-68, para investigar "situação observada no Ofício no 91/2018-COR/SR/PF/PE, remetido pela Corregedoria Regional da Polícia Federal, encaminhando documentação registrada sob o no 08420.011523/2017-25, noticiando eventuais irregularidades praticadas pela UNINASSAU, em processo de reconhecimento de qualidade de instituição de ensino superior no Rio Grande do Norte, perante o Ministério da Educação - MEC'."

A Portaria ainda determina que seja reiterado ofício para que o Ministério da Educação e Cultura preste esclarecimentos sobre o caso, uma vez que o MEC não teria respondido a ofício anterior: "tendo em vista que o Ministério de Educação e Cultura ainda não respondeu as indagações formuladas por este parquet por meio do ofício, reitere-se os termos do documento, assinalando prazo de 15 (quinze) dias úteis para resposta."

Segue o inteiro teor da Portaria:
Procedimento Preparatório no 1.26.000.001216/2018-68

PORTARIA DE INSTAURAÇÃO No 161/2018

O Ministério Público Federal, pelo Procurador da República que esta subscreve, no exercício de suas atribuições constitucionais e legais, com fundamento nos artigos 127, caput e 129, III, da Constituição Federal, bem como no artigo 6o, VII, da Lei Complementar n.° 75, de 20 de maio de 1993, e;

Considerando que o Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais, conforme preceitua o art. 127 da Constituição da República;

Considerando ser função institucional do Ministério Público promover o Inquérito Civil e a Ação Civil Pública para a proteção do patrimônio público e social e de outros interesses difusos e coletivos, nos termos do art. 129, inciso III da Constituição Federal;

Considerando o teor da Resolução n° 87 do Conselho Superior do Ministério Público Federal, com redação conferida pela Resolução no 106 do CSMPF, de 6 de abril de 2010;

Considerando o esgotamento do prazo de tramitação do procedimento, e a necessidade de prosseguir em sua instrução até o deslinde dos fatos;

Resolve instaurar o Inquérito Civil no 1.26.000.001216/2018-68, determinando:

1) Registro e autuação da presente Portaria, acompanhada do Procedimento Preparatório supracitado, assinalando como objeto do Inquérito Civil "apurar situação observada no Ofício no 91/2018-COR/SR/PF/PE, remetido pela Corregedoria Regional da Polícia Federal, encaminhando documentação registrada sob o no 08420.011523/2017-25, noticiando eventuais irregularidades praticadas pela UNINASSAU, em processo de reconhecimento de qualidade de instituição de ensino superior no Rio Grande do Norte, perante o Ministério da Educação - MEC".

2) Nomeação, mediante termo de compromisso nos autos, da servidora Laís Abath, matrícula no 26823, ocupante do cargo de Técnico Administrativo, nos termos do art. 4o, da Resolução no 23/2007 - CNMP e art. 5o, V, da Resolução n. 87/2006 do CSMPF, para
funcionar como Secretária;

3) Comunicação à 1a Câmara de Coordenação e Revisão - Consumidor e Ordem Econômica do Ministério Público Federal da instauração do presente Inquérito Civil, nos termos do art. 6o, da Resolução no 87 do CSMPF, solicitando-lhe a publicação desta Portaria no Diário Oficial da União (art. 4o, VI, Resolução no 23 CNMP e art. 16, §1o, I, Resolução no 87 CSMPF);

4) Publicação deste ato no portal eletrônico que a Procuradoria da República no Estado de Pernambuco mantém na rede mundial de computadores.

A fim de serem observados o art. 9o da Resolução no 23 do CNMP e o art. 15 da Resolução no 87 do CSMPF, deve ser realizado o acompanhamento de prazo inicial de 01 (um) ano para conclusão do presente inquérito civil, mediante certidão nos autos após o seu transcurso.

Por fim, tendo em vista que o Ministério de Educação e Cultura ainda não respondeu as indagações formuladas por este parquet por meio do ofício, reitere-se os termos do documento, assinalando prazo de 15 (quinze) dias úteis para resposta.

Recife/PE, 29 de outubro de 2018.

Alfredo Carlos Gonzaga Falcão Júnior
Procurador da República



MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: Polícia Civil de Pernambuco prende maior estelionatário do Nordeste. Hacker, que estava foragido, foi preso pela Delegacia do Cordeirro. Golpes ultrapassam a casa dos R$ 100 milhões

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Covidão: PF faz buscas nas Prefeituras do Recife, Paulista, Cabo e Olinda contra corrupção na pandemia