CITADA EM AÇÃO POPULAR QUE PEDE ANULAÇÃO DAS ELEIÇÕES DO CREMEPE BISAWEB NEGA, EM NOTA, IRREGULARIDADES E INFORMA QUE IRÁ INTERPELAR CRIMINALMENTE CHAPA QUE A ACUSOU



NOTA OFICIAL 

Em resposta ao artigo publicado neste blog, no último dia 22 de janeiro de 2019, a diretoria da BISAWEB TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO vem informar que vai interpelar judicialmente todos os 40 integrantes da Chapa 2 que concorreram às eleições do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco – CREMEPE no ano passado. As acusações proferidas por um de seus representantes, ANTONIO JORDÃO DE OLIVEIRA NETO, são descabidas, infundadas e criminosas. Não sabemos as motivações, talvez a derrota seja uma delas, que fez com ele acusasse, levianamente, a honra de uma empresa de destaque nacional e com mais de 27 anos de mercado. Fundada em 1991 para atuar no mercado de desenvolvimento de sistemas de gestão e serviços ligados, somando hoje mais de 350 entidades/clientes espalhados pelo Brasil, usuárias de suas soluções. A empresa oferece Sistemas para Gestão Financeira, Sistema para Gestão Sindical, Sistema para Gestão Jurídica e Sistema para Comunicação Integrada, Distribuição de Notícias e Newsletters Institucionais, serviços voltados para empresas de pequeno e médio portes, sindicatos, escritórios de advocacia, autarquias (OAB, CREA, CRC, CRA), entre outros. Além dos softwares a BISAWEB TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO oferece serviços de ORGANIZAÇÃO DE ELEIÇÕES e votações eletrônicas, já tendo atuado em inúmeras eleições de sindicatos, associações, autarquias, e Órgãos de Classe, a exemplo das eleições da OAB/PE e CREMEPE. A empresa também organiza Congressos e Eventos para as entidades. De logo se esclareça que o software de controle dos votantes não era da BISAWEB, mas sim, do Conselho Federal de Medicina – CFM. Portanto, a BISAWEB só foi contratada para fornecer mesários, serviço amparado na Resolução n.2.161/2017 do Conselho Federal de Medicina, norma que regeu as Eleições dos Conselhos Regionais de Medicina de todo o Brasil. No seu pedido de anulação do pleito, a Chapa 2 chega ao cúmulo de dizer que “Destaque-se que essa contratação criminosa, teve a mediação de uma funcionária do CREMEPE que é filha do também funcionário do CREMEPE que é dono/sócio da empresa BISAWEB.” A afirmação chega a ser ridícula. A BISAWEB não tem e nunca teve sócio ou funcionário atuando dentro do Conselho Regional de Medicina. Aliás, não temos nem um contrato ou qualquer ligação comercial com o Cremepe. Que expliquem e provem os que nos acusam: 1. Quem é funcionário do CREMEPE que é sócio da BISAWEB? 2. Quem é a funcionária do CREMEPE que é filha do sócio da BISAWEB? 3. Quem são os funcionários da BISAWEB que violaram urnas, quando ocorreu essa violação, e quem a presenciou? 4. A Chapa 2 levou à Comissão Eleitoral a notícia e provas de urnas foram violadas e cédulas trocadas por algum funcionário a BISAWEB? 5. A Chapa 2 levou à Comissão Eleitoral a notícia e provas de que a BISAWEB estava de “esquema” para beneficiar a Chapa 01 nas eleições? 6. A Chapa 2 afirma que a BISAWEB foi empresa responsável também pela apuração dos votos? Nem o desespero pela derrota justifica tanta injúria e difamação. Que fiquem atentos. Confiamos na justiça e estamos tomando as medidas necessárias. “Art. 144 - Se, de referências, alusões ou frases, se infere calúnia, difamação ou injúria, quem se julga ofendido pode pedir explicações em juízo. Aquele que se recusa a dá-las ou, a critério do juiz, não as dá satisfatórias, responde pela ofensa.” (original sem grifos). Código Penal.

Diretoria BISAWEB TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

MAIS VISITADAS DO MÊS

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos