COMBATE À CORRUPÇÃO: MPPE ABRE INQUÉRITO PARA INVESTIGAR IMIP E DIREÇÃO DE HOSPITAL DO ESTADO POR DESVIO DE R$ 2,2 MILHÕES POR MEIO DE NOTAS FRIAS, LARANJAS E FUNCIONÁRIOS FANTASMAS


A 2. Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania de Paulista instaurou no último dia 17 de janeiro, por meio de uma Portaria assinada pelo Promotor de Justiça Fernando Falcão Ferraz Filho, publicada no Diário Oficial de hoje, inquérito civil para investigar sob a ótica da improbidade administrativa supostos desvios que teriam sido praticados por gestores do Hospital Miguel Arraes, vinculados ao IMIP, organização social responsável por gerir a maior parte dos hospitais e UPAs da Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco.

De acordo com a Portaria, a "Promotoria de Justiça recebeu cópia de inquérito policial que aponta indícios graves de que RODRIGO CABRAL DE OLIVEIRA, ex-Diretor Administrativo e Financeiro, além de Superintendente Geral do Hospital Miguel Arraes, em conluio com a esposa VIVIANE GELLI BAPTISTA e seu amigo pessoal RICARDO ALEXANDRE PEREIRA DE SOUZA, nos anos de 2016 a 2018, subtraíram para si quantia de R$ 2.237.707,30 (dois milhões, duzentos e trinta e sete mil, setecentos e sete reais e trinta centavos) da Fundação IMIP; CONSIDERANDO que aparentemente o esquema de desvio de recursos públicos envolvia a emissão de ordens de pagamentos a profissionais autônomos falsas a pessoas físicas que não tinham prestado serviços ao Hospital Miguel Arraes, dentre elas o comparsa RICARDO ALEXANDRE PEREIRA DE SOUZA; CONSIDERANDO que as outras pessoas físicas utilizadas eram funcionárias de uma loja no Shopping RioMar, em que VIVIANE GELLI BAPTISTA era gerente, e não tinham ciência da utilização indevida de seus nomes e contas-correntes pelos criminosos; CONSIDERANDO que a Fundação IMIP é uma Organização Social de Saúde – OSS que possui convênio com a Secretária Estadual de Saúde para operacionalização de gestão e execução de ações e serviços de saúde no HMA, sendo, portanto, seus administradores sujeitos à Lei de Improbidade Administrativa", resolveu instaurar inquérito para apurar os fatos acima narrados.

As relações nada transparentes do Governo de Pernambuco com organizações sociais já são alvo de duas ações de improbidade promovidas pelo Ministério Público Federal contra o governador de Pernambuco e o secretário de Saúde.

Nossa Editoria protocolou junto ao MPPE, notícia criminis pedindo a instauração de inquérito para investigar esquemas de corrupção flagrados em grampos da Operação Assepsia do Ministério Público do Rio Grande do Norte, onde empresários confessam subornos de toda ordem a altas autoridades do Estado de PERNAMBUCO, para que as OSs tomassem conta dos bilhões destinados à saúde do povo de Pernambuco.

Os corruptos denunciados por nosso Blog tentaram nos calar com ações judiciais, mas a justiça assegurou nosso direito e o do povo de Pernambuco à informações sobre os assaltos praticados por esses malfeitores contra o Erário.

A representação criminal de nossa Editoria contra os assaltantes do dinheiro da saúde do povo de Pernambuco se encontra, de acordo com a Ouvidoria do MPPE, com a Promotoria de Justiça dos Crimes contra a Administração Pública.

Leiam a íntegra da Portaria

2ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE DEFESA DA CIDADANIA DO PAULISTA PORTARIA Nº 001 /2019 INSTAURAÇÃO DE INQUÉRITO CIVIL O MINISTÉRIO PÚBLICO DE PERNAMBUCO, por intermédio da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania de Paulista, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelos artigos 127 e 129, III, da Constituição Federal, e pelos artigos 1º e 8º, § 1º, da Lei nº 7.347/85, art. 4º, inciso IV, alínea a, da Lei Complementar Estadual nº 12/1994, com as alterações da Lei Complementar Estadual nº 21/1998; art. 1º da Resolução RES-CSMP nº 001/2012; CONSIDERANDO que esta Promotoria de Justiça recebeu cópia de inquérito policial que aponta indícios graves de que RODRIGO CABRAL DE OLIVEIRA, ex-Diretor Administrativo e Financeiro, além de Superintendente Geral do Hospital Miguel Arraes, em conluio com a esposa VIVIANE GELLI BAPTISTA e seu amigo pessoal RICARDO ALEXANDRE PEREIRA DE SOUZA, nos anos de 2016 a 2018, subtraíram para si quantia de R$ 2.237.707,30 (dois milhões, duzentos e trinta e sete mil, setecentos e sete reais e trinta centavos) da Fundação IMIP; CONSIDERANDO que aparentemente o esquema de desvio de recursos públicos envolvia a emissão de ordens de pagamentos a profissionais autônomos falsas a pessoas físicas que não tinham prestado serviços ao Hospital Miguel Arraes, dentre elas o comparsa RICARDO ALEXANDRE PEREIRA DE SOUZA; CONSIDERANDO que as outras pessoas físicas utilizadas eram funcionárias de uma loja no Shopping RioMar, em que VIVIANE GELLI BAPTISTA era gerente, e não tinham ciência da utilização indevida de seus nomes e contas-correntes pelos criminosos; CONSIDERANDO que A Fundação IMIP é uma Organização Social de Saúde – OSS que possui convênio com a Secretária Estadual de Saúde para operacionalização de gestão e execução de ações e serviços de saúde no HMA, sendo, portanto, seus administradores sujeitos à Lei de Improbidade Administrativa; CONSIDERANDO a necessidade de dar continuidade às investigações e à coleta de informações para o esclarecimento dos fatos em apuração e adoção de eventuais medidas extrajudiciais e/ou judiciais para a solução de eventuais problemas na prestação de contas; RESOLVE: INSTAURAR o presente INQUÉRITO CIVIL, para apurar os fatos acima narrados, adotando-se as seguintes providências: I – Atuação e registro das peças oriundas do procedimento enunciado na forma de Inquérito Civil; II – Remessa de cópia da presente Portaria à Secretaria-Geral do Ministério Público, para publicação no Diário Oficial; III – Envio de cópia da presente Portaria ao Conselho Superior, à Corregedoria Geral do Ministério Público e ao CAOP PPS, para ciência; IV - Designo para secretariar os trabalhos o servidor José Fernando Meireles, matrícula 189.145-6, sob compromisso; Paulista/PE, 17 de janeiro de 2019. Fernando Falcão Ferraz Filho Promotor de Justiça

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos