EM NOTA ENVIADA PELA ASSESSORIA DA FUNDAJ NOVO PRESIDENTE NEGA VÍNCULO COM O PT E A ESQUERDA. LEIA A INTEGRA


"Em função de mensagens e notas veiculadas na rede social, venho a público comunicar que:

 1)Mesmo reconhecido como técnico e de convicções liberais participei por pouco mais de um ano de uma gestão municipal do PT, por convite pessoal do então Prefeito e para essa função fiz uma gestão embasada por valores técnicos;
2) evidente que nessa circunstância convivi com políticos divergentes do meu pensamento, mas num clima amistoso e meramente institucional;
3) após esse exercício, mantive um distanciamento físico à altura da divergência ideológica e jamais assinei e sequer autorizei o uso do meu nome em manifestos contra o impeachment da então Presidente (conforme áudio que tenho comigo feito pela pessoa para a qual pedi a retirada do meu nome da então lista, colocado indevidamente);
4) o meu convívio com profissionais da Cultura, das mais distintas linhas de pensamento, também é fato, de artistas a intelectuais, mas todos sabedores de que nunca autorizei meu nome para nada com fim político, justo por discordar da linha ideológica predominante, que ê contrária aos meus princípios;
5) sempre participei de várias caminhadas em favor dos movimentos pelo impeachment, baseado na maneira discreta e respeitosa que as lições de cidadania me ensinaram;
6) compus, dias após a posse do Presidente Temer, a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e nela sofri todos os tipos de retaliações por parte da esquerda, sendo recebido nos ambientes com agressões verbais, vaias e apupos, com expressões rotineiras de "golpista";
 7) após sair da Secretaria, na gestão do Ministro Roberto Freire, sofri por parte dos mesmos movimentos as mais estúpidas agressões físicas e morais, pela decisão de exibir, pela primeira vez no Brasil, o filme “Jardim das Aflições” sobre o Mestre Olavo de Carvalho;
8) essa decisão ganhou dimensão nacional, causou enorme prejuízo financeiro ao evento e nos deu uma visibilidade ainda maior no país; 9) os ataques e acusações foram tantos que a Justiça determinou o pagamento de indenizações pelos danos morais sofridos;
10) em 2017 ainda, retornei ao Governo Temer para ocupar o cargo de Secretário de Infraestrutura do Ministério da Cultura, na gestão do Ministro Sérgio Sá Leitão, e continuei a ouvir ataques de "golpista" como anteriormente;
11) estive tecnicamente atuando com a equipe econômica do atual Ministro Paulo Guedes, propondo ideias para o setor do entretenimento, com vistas ao Governo do Presidente Bolsonaro, atividade essa que exerci em circunstâncias pontuais;
12) sobre tentativas de manchar meu nome com atos administrativos ou correlatos, pelo arquivamento de um processo e pelo fato de ter participado de uma CPI como técnico conhecedor do assunto em pauta, não há o porquê de me prolongar nos comentários, haja vista que nada existe e meu advogado estará pronto para agir dentro dos ditames da lei. Com base nesses fatos, quaisquer outras iniciativas que me vinculem ideologicamente ao PT ou outros partidos de esquerda são mentirosas e levianas. Portanto, são cabíveis de questionamentos até judiciais, se assim julgar necessário.

Recife, 27 de janeiro de 2019
Alfredo Bertini

MAIS VISITADAS DO MÊS

Corruptocracia Pernambucana: Prefeito com tornozeleira é recebido com festa ao retornar ao cargo depois de desviar quase cem milhões da Previdência. Veja o vídeo

Contrato da iluminação pública de Olinda leva à condenação da vice-governadora de Pernambuco e ex-prefeita do município por improbidade administrativa com suspensão dos direitos políticos por seis anos

STF derruba sigilo de gastos da Presidência e Bolsonaro terá que mostrar faturas milionárias do cartão corporativo

DRACO pede e TJPE autoriza prisão do filho do operador pivô do afastamento do prefeito de São Lourenço da Mata e da prisão do prefeito de Camaragibe

Cabos da PM/PE denunciam que governo de Pernambuco só promove oficiais: "Quanta injustiça numa única corporação!"