Lava Jato/SP: Justiça determina buscas e apreensões em endereços ligados à OAS por suspeitas de fraudes em obra do Rodoanel Mário Covas



A pedido da Força Tarefa da Operação Lava Jato do MPF em São Paulo, o juízo da 5ª Vara Criminal Federal determinou a realização da Operação Pedra no Caminho 2 _medidas de busca e apreensão em quatro endereços ligados à construtora OAS em Salvador, Santana do Parnaíba (SP) e na capital paulista. As ordens judiciais estão sendo cumpridas nesta quarta-feira (30) pela Polícia Federal. A Operação Pedra no Caminho é um desdobramento da Operação Lava Jato em São Paulo, deflagrada em junho de 2018, que investiga os crimes de corrupção, organização criminosa, fraude à licitação, crime contra a ordem econômica e desvio de verbas públicas na construção do trecho norte do Rodoanel Mario Covas. A Operação Pedra no Caminho já resultou em uma ação penal pelos crimes de fraude à licitação, organização criminosa e falsidade ideológica contra 14 acusados, os quais são funcionários de construtoras e servidores da Dersa. Um novo inquérito policial foi aberto, após a análise de documentos e depoimentos, exclusivamente para apurar detalhes do funcionamento do esquema de corrupção alimentado pelas fraudes descobertas na primeira fase da Pedra no Caminho. Buscam-se agora documentos e outras provas eventualmente existentes que corroborem o que foi apurado por meio de depoimentos. Veja também: Lava Jato/SP: MPF e PF cumprem mandados de prisão e busca e apreensão em nova operação sobre o Rodoanel Lava Jato/SP: MPF denuncia 14 pessoas por organização criminosa que fraudou licitações do trecho norte do Rodoanel Pedra no Caminho: Justiça Federal aceita pedido da Lava Jato em SP e afasta oito acusados de suas funções Pedra no Caminho: Justiça Federal torna réus 14 acusados de associação criminosa e fraude à licitação.

* Com informações da Assessoria de Comunicação Procuradoria da República no Estado de S. Paulo

MAIS VISITADAS DO MÊS

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos