MP Eleitoral requer cassação do governador do Tocantins por irregularidades na campanha


O Ministério Público Eleitoral requereu a cassação do mandato do atual governador do Tocantins, Mauro Carlesse, e de seu vice, Wanderlei Barbosa por condutas abusivas durante as eleições.
Após a cassação do governador Marcelo Miranda, o então presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins, Carlesse, assumiu interinamente o governo e se lançou candidato nas eleições suplementares, realizadas em junho de 2018. Segundo a denúncia, para conseguir vencer as eleições, os candidatos a governador e a vice-governador praticaram atos abusivos durante toda a campanha, destacando-se a contratação de servidores para cargos temporários e a destinação voluntária de verbas aos municípios.
Os requeridos também foram candidatos nas eleições regulares, realizadas quatro meses após as suplementares, e teriam continuado praticando os mesmos atos abusivos. Em primeiro de janeiro deste ano, dia da posse como novos governador e vice, foi publicada no Diário Oficial do Estado a extinção de mais de 15 mil contratos temporários, indicando que as contratações em número excessivo tiveram por finalidade o desequilíbrio do processo eleitoral.
Com base nas acusações, o MP Eleitoral requer a cassação dos mandatos e a designação de novas eleições para os cargos de governador e de vice-governador do Tocantins.
Para mais informações, veja a íntegra da ação de impugnação de mandato eletivo.
Com informações da Assessoria de Comunicação Social
Procuradoria da República no Tocantins

MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: Polícia Civil de Pernambuco prende maior estelionatário do Nordeste. Hacker, que estava foragido, foi preso pela Delegacia do Cordeirro. Golpes ultrapassam a casa dos R$ 100 milhões

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito