TCE LEVANTOU QUE DEZ DEPUTADOS DESTINARAM EMENDAS PARA COOPERATIVA LIGADA À FAMILIA DO PRESIDENTE DA ALEPE QUE RECEBEU, MAS NÃO PRESTOU OS SERVIÇOS. SAIBA QUEM SÃO

Olha o tamanho da bronca!

O Relatório do TCE/PE, revelado mais cedo por nosso Blog (confira AQUI), que apontou graves irregularidades em despesas do Instituto Pernambucano de Agronomia, ligado à Secretaria de Agricultura do Estado, pagando antecipadamente por serviços não prestados ou não concluídos,  traz em seu bojo, uma Planinha com todas as emendas parlamentares e respectivos autores e valores. De acordo com o Relatório de Auditoria mencionado, as emendas destinaram os recursos para uma cooperativa ligada a familiares do atual presidente da Alepe, Eriberto Medeiros. Essa Cooperativa,  contratada pelo IPA, sem licitação, por sua vez, subcontratou os serviços para empresas cujos sócios são um cunhado e primo de Eriberto Medeiros, a ex-esposa daquele e a Prefeita de CUMARU, esposa de Eriberto Medeiros.

Ainda segundo O TCE, as emendas omitiram os nomes das entidades beneficiárias na Lei Orçamentária, o que atesta o TCE, seria ilegal. Os nomes das entidades beneficiárias das emendas só foi informado ao secretário de Agricultura posteriormente por meio de ofícios desses deputados. Os deputados que enderacatam emendas para a Cooperativa da família do presidente da Alepe são: Adalberto Cavalcanti, Aglailson Júnior, André Campos, Angelo Ferreira, Antonio Moraes, o próprio Eriberto Medeiro, Manoel Santos, Rodrigo Novaes, Sérgio Leite e Zé Maurício.

Vejam a Planilha do TCE





MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos