TRE DO AMAPA DECRETA INELEGIBILIDADE DO GOVERNADOR WALDEZ GOES, DO PDT



Por maioria de votos, TRE/AP decreta inelegibilidade do governador Waldez Góes e mais três por oito anos Os quatro foram condenados por abuso dos meios de comunicação nas eleições de 2014 Arte: Secom/PGR Por maioria de votos, o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE/AP), decretou a inelegibilidade de Waldez Góes (PDT), Gilvam Borges (MDB), Gionilson Borges e João Bosco Papaléo Paes, por oito anos, a contar das eleições de 2014, por abuso dos meios de comunicação. A decisão do pleno, desta sexta-feira (1º), atende pedido do Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral) em Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije). Na Aije, o MP Eleitoral comprovou por meio de farto acervo de provas que os réus utilizaram veículos do grupo Beija-flor de Comunicação, do qual Geonilson Borges era diretor, para atacar deliberadamente o candidato adversário e enaltecer Waldez Góes, que venceu a disputa à época. Embora não tenha sido eleito, Gilvam Borges foi igualmente beneficiado, em detrimento dos demais candidatos. O julgamento, interrompido na sessão de quinta-feira (31), após pedido de vista, foi encerrado com cinco votos favoráveis e dois contrários ao entendimento do MP Eleitoral. Da decisão cabe recurso.

* Com informações da Assessoria de Comunicação Social Ministério Público Federal no Amapá

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos