DESTAQUE

Butique das "finas e fofas" do Recife era "usada para desvios de recursos das empresas principais" do Grupo João Santos para fugir dos credores trabalhistas e fiscais

Imagem
Policial federal contando dinheiro apreendido na casa de um dos alvos da Operação Background - Foto: Divulgação/PF Em todo o período analisado pela Polícia Federal, o total de créditos nas contas da Dona Santa foi de cerca de R$ 102 milhões, enquanto a receita declarada no mesmo período foi de pouco mais de R$ 47 milhões. Aparentemente, R$ 55 milhões de origem desconhecida foram creditados nas contas da empresa, aponta a decisão de buscas e apreensões De acordo com a decisão que determinou buscas e apreensões nas empresas do Grupo João Santos e de pessoas ligadas a este, a Polícia Federal aponta no sentido "da lavagem de dinheiro", pois "analisando as movimentações bancárias suspeitas, foi possível identificar retiradas milionárias por sócios, utilização de contas bancárias de passagem, com valores entrando na conta e sendo transferidos para outras contas no mesmo dia ou em dias próximos, tudo isso para evitar bloqueios judiciais e rastreamento dos valores. Também

Mais prefeitos na mira do MPPE, desta vez o investigado é o Prefeito de Itamaracá. Leiam a Portaria!!!



A 2ª Promotoria de Justiça de Itamaracá, por determinação da Promotora Katariana Gouveia, instaurou, por meio de Portaria publicada no Diário Eletrônico do MPPE, Inquérito Civil Público para apurar notícia sobre "o pagamento de serviços não realizados e realização de despesas sem prévio empenho, pela atual Gestão". De acordo com a Portaria, as denúncias foram encaminhadas à Ouvidoria do MPPE por meio da manifestação nº 44992022018-2.

Ainda segundo a Promotoria de Itamaracá, as condutas investigadas "configuram atos de improbidades administrativas, nos termos da Lei 8.429/92, além de crime de responsabilidade", razão pela qual, e tendo em vista o foro privilegiado do Prefeito, "foi encaminhada cópia da manifestação ao PGJ para apuração pelo viés criminal".

O atual gestor da cidade, Mosar Tato, é filiado ao PSB e genro do ex-presidente da Assembleia Legislativo de Pernambuco, Guilherme Uchoa, já falecido. Tato já é investigado pelo Ministério Público Federal, nas esferas cível e criminal, por “possível aplicação indevida de recursos do FUNDEB, por parte da Prefeitura Municipal de Ilha de Itamaracá/PE, no pagamento de serviços de limpeza urbana (Empenho 0000044/2017), de montante equivalente a R$140.9472,43 (cento e quarenta mil, novecentos e setenta e dois reais e quarenta e três centavos)”.


INQUERITO CIVIL Nº 001.2019
Recife, 15 de março de 2019 
2a PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA ILHA DE ITAMARACA/PE 
INQUÉRITO CIVIL Nº 001.2019 
O MINISTÉRIO PÚBLICO DE PERNAMBUCO, por sua representante legal, no exercício da CURADORIA DO PATRIMONIO PUBLICO, no uso das atribuições outorgadas pelos artigos 129, inciso 111, da Constituição Federal, art. 8o, s lo, da Lei Ro 7.347/85, art. 17 da Lei 8.429/92, nos termos da Resolução RES-CSMP Ro 001/16, e ainda:1 CONSIDERANDO a manifestação no 44992022018-2, recebida através da Ouvidoria, que noticia o pagamento de serviços não realizados e realização de despesas sem prévio empenho, pela atual Gestão; CONSIDERANDO que estas condutas configuram atos de improbidades administrativas, nos termos da Lei 8.429/92, além de crime de responsabilidade; CONSIDERANDO que foi encaminhada cópia da manifestação ao PGJ para apuragao pelo viés criminal; CONSIDERANDO que são princípios norteadores da Administração Pública e de seus respectivos gestores a legalidade, a impessoalidade, a moralidade, a publicidade e a eficiência (art. 37, caput, da Constituição Federal); CONSIDERANDO que, consoante o disposto nos artigos 37, s 4', 127 e 129, inciso III, da Constituição Federal, 25 inc. IIV, alínea b, da Lei Federal 8.625/93, 103, inc. VIII, da Lei Complementar Estadual 734/93, é função institucional do Ministério Público a defesa do património público e social, incluídas neste a legalidade e moralidade administrativas; CONSIDERANDO que há necessidade de continuidade das investigações para garantir o eventual ressarcimento ao erário, bem como a responsabilização dos agentes e/ou servidores ímprobos; RESOLVO: INSTAURAR o presente INQUÉRITO CIVIL com o objetivo de apurar notícia de a prática de pagamento de serviços não realizados e realização de despesas sem prévio empenho, pela atual Gestão. NOMEAR a servidora Ináuria Ferreira para funcionar como Secretária Escrevente. DETERMINAR: à Secretária Escrevente: (1 ) registrar cópia da presente Portaria no Sistema Arquimedes; à Assessoria a fim de que: (1) diligencie no sentido de identificar e imprimir, no aplicativo "Tome l Conta", os empenhos referidos na manifestaçãol (2) diligencie para obter as provas indicadas no youtube e páginas de jornais e da prefeitura municipal na internetl (3) oficiar o Controle Interno do Município para que remeta cópia das notas fiscais correspondentes a cada empenho. Após, à conclusão. Publique-se. Cumpra-se. Ilha de ltamaracá (PE), 15 de março de 2019 Katariana Gouveia Promotora de Justiça

MAIS VISITADAS DO MÊS

Prefeitura de Petrolina e dono de gráficas são alvos da Polícia Federal na manhã de hoje (Arualizado)

Das colunas sociais para as páginas policiais: briga familiar por herança acaba na Operação Background da Polícia Federal em Pernambuco contra sonegação de mais de R$ 8,5 bilhões

Mais de 20 empresas do Grupo João Santos utilizaram uma "factoring" para lavar dinheiro, além de superfaturar importações para fazer remessas ao exterior, aponta a Receita Federal

Operação Frígia: Policial Federal e ex-candidato a Prefeito são presos por participação em esquema de extração ilegal de ouro no Sertão pernambucano

Polícia Federal indicia ex-gestores do DER/PE e empresários por organização criminosa, peculato, corrupção e lavagem de dinheiro desviado de obras da BR 101, em Pernambuco