Crusoé: Sobrinho de Eunício Oliveira também aparece no Sistema do Banco dos Doleiros



A Revista Crusoé teve acesso a dois Sistemas utilizados pelos maiores doleiros do País, que revelam a existência de uma espécie de "banco paralelo" pelo qual esses doleiros fariam pagamentos de propina a políticos e lavagem de capitais para corruptos, empresários e até para o "Jogo do Bicho".

Os dados estariam em poder da Força Tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro e de acordo com a reportagem de Fabio Serapião, as transações ilegais registradas pelos dois sistemas chegaram à casa de R$ 5,5 bilhões.

Dentre as milhares de operações registradas, segundo a Crusoé, constam repasses a um sobrinho de Eunício de Oliveira, por meio da senha "Biscoito".

A revista conta que "Entre as centenas de Operações feitas por Alvaro Novis, o doleiro da Odebrecht, há ao menos duas que batem com dados de uma investigação, agora em curso na primeira instância da Justiça Federal de Brasília, que mira o ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira."

Na delação da Odebrecht, diz a revista, Eunício aparece como beneficiário de 2,1 milhões que teriam sido pagos para ele defender os interesses da companhia na tramitação de uma medida provisória em 2013. Os repasses, segundo os delatores, teriam sido realizados em dois momentos por Novis, com intermediação de Ricardo Augusto Lopes, sobrinho do ex-senador e responsável por administrar os negócios da família"

A matéria completa está disponível para assinantes em https://crusoe.com.br/edicoes/54/o-banco-dos-doleiros/

MAIS VISITADAS DO MÊS

São dois, os Secretários de Geraldo Julio, presos pela Polícia Federal, ontem, por desvios em obra da BR 101, ambos indicados por Sebastião Oliveira

Mãe "rica" da "Beira Mar" reclama de escola cearense que coloca seus filhos em aulas on line com crianças de "outro nível". Escola emite nota lamentando discriminação

Com Covid19, Sikêra Jr. chora ao vivo e alerta: "não façam como eu fiz. Não subestimem a doença"

Exclusivo: Deputado Sebastião Oliveira, de Pernambuco foi alvo de buscas e apreensões da PF na Operação Outline. Dois ex-servidores do DER foram presos na manhã de hoje

Com salário líquido de R$ 7,9 mil, Secretário de Geraldo Júlio, preso pela PF por desvios no DER, confessa prática de agiotagem e posse de R$ 1,4 milhão em dinheiro. Prefeitura silencia