Maia rompe com líder do governo Bolsonaro que acusou colegas de terem relações políticas em troca de "sacos de dinheiro"

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia JORGE WILLIAM / AGÊNCIA O GLOBO

A Revista Época, em seu site, conta que teria sido tensa a reunião do Colégio de Líderes da Câmara, encerrada há pouco, quando Rodrigo Maia anunciou rompimento com o líder do governo, Major Vitor Hugo, que estava presente na reunião.

Segundo Maia, Vitor Hugo compartilhou no fim de semana uma mensagem dizendo que as relações políticas só funcionam na base do dinheiro.

Disse Maia:

“Vítor Hugo está excluído da minha relação porque ele compartilhou no grupo de deputados que negociar é entrar na Câmara com um saco de dinheiro”.

Aos demais líderes, na frente de Maia, Vitor Hugo respondeu que tentou de todas as maneiras criar uma relação com Maia.

“Tentei de todas as maneiras e o Maia fugiu. Fugiu de ter uma relação. Ele só me atende depois de fazer tudo que tem que fazer. Ele não pode determinar quem entra ou não na Residência Oficial da Presidência da Câmara. A residência oficial é da Câmara e não dele, isso não é democrático”.

Após a fala de Vitor Hugo, Maia o interrompeu dizendo que a reunião estava terminada.

MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

"Jovem deputado foi nutrido na mamadeira da Odebrecht", responde Antonio Campos ao sobrinho João Campos após ser chamado de "mau sujeito" em audiência da Câmara

Remuneração a juíza do TJ-PE chega a mais de R$ 1 milhão em novembro, revela a Folha de São Paulo

Paulo Câmara liberou R$ 60 milhões para pagar férias indenizadas no TJPE beneficiando a própria mulher que é juíza. Para os demais servidores, aumento na alíquota da Previdência. Manobra foi revelada pela Folha de São Paulo