DESTAQUE

Butique das "finas e fofas" do Recife era "usada para desvios de recursos das empresas principais" do Grupo João Santos para fugir dos credores trabalhistas e fiscais

Imagem
Policial federal contando dinheiro apreendido na casa de um dos alvos da Operação Background - Foto: Divulgação/PF Em todo o período analisado pela Polícia Federal, o total de créditos nas contas da Dona Santa foi de cerca de R$ 102 milhões, enquanto a receita declarada no mesmo período foi de pouco mais de R$ 47 milhões. Aparentemente, R$ 55 milhões de origem desconhecida foram creditados nas contas da empresa, aponta a decisão de buscas e apreensões De acordo com a decisão que determinou buscas e apreensões nas empresas do Grupo João Santos e de pessoas ligadas a este, a Polícia Federal aponta no sentido "da lavagem de dinheiro", pois "analisando as movimentações bancárias suspeitas, foi possível identificar retiradas milionárias por sócios, utilização de contas bancárias de passagem, com valores entrando na conta e sendo transferidos para outras contas no mesmo dia ou em dias próximos, tudo isso para evitar bloqueios judiciais e rastreamento dos valores. Também

Operação Convescote: Organização criminosa teria fraudado licitações e ainda fornecia alimentos vencidos para dependentes químicos e idosos, em Paulista. Município foi escolhido para celebrar convênio com Sergio Moro para combate à criminalidade




Organização criminosa teria fraudado licitações e ainda fornecia alimentos vencidos para dependentes químicos e idosos, em Paulista


A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou, nesta terça-feira (28), a Operação Convescote, que investiga crimes de fraudes em licitações, organização criminosa, falsidade ideológica e corrupção ativa e passiva na prefeitura de Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR). 

Na ação, que contou com a participação de 80 policiais civis, foram presos os empresários Norberto Pessoa Brito, dono da Kaluah, e Aluísio Mendes de Araújo, proprietário da Araújo Dantas, além de ter sido determinado pela Vara Criminal da Comarca do Paulista, do pregoeiro Marcos Veríssimo de França e de Marina Dantas de Lima, que fiscalizava os contratos, Joseli Nunes da Silva, que recebia os alimentos entregues pelas empresas, além de Zenaide Carla Barbosa, que atuava no gabinete do prefeito.  A Justiça também determinou o afastamento do secretário municipal de Políticas Sociais, Juventude e Esportes, José Augusto Costa.

A organização criminosa é investigada por irregularidades em contratos que somam R$ 600 mil na compra de alimentos destinados para locais de acolhimento de idosos e dependentes químicos.

Foram cumpridos, ainda, 15 mandados de busca e apreensão mediante os quais foram apreendidos 5 automóveis, um revólver e R$ 230 mil, em espécie, na residência do Pregoeiro. A investigação é conduzida pelo Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco) e teve início em janeiro de 2019.

No ano passado, o secretário, agora afastado, José Augusto Costa, que é do Rio Grande do Norte e que também é vereador do Município, eleito pelo MDB, numa coligação com o PSDC e o PSL, chegou a ser homenageado pelo deputado estadual Francismar Pontes, do PSB, mesmo partido de Junior Matuto, prefeito de Paulista, por relevantes serviços que teria prestado a pessoas carentes. De acordo com a Polícia Civil, a organização criminosa integrada pelo homenageado fornecia alimentos estragados e em quantidade inferior ao contratado a dependentes químicos e a pessoas idosas em abrigos do Município.

Secretário afastado por corrupção foi agraciado com o título de cidadão pernambucano por deputado do PSB

De acordo com o delegado Jean Rockfeller, diretor de Polícia Especializada, os empresários se uniram para fraudar a compra de alimentos para abrigos de acolhimento para idosos e dependentes químicos. "Eles se uniam para direcionar as licitações", afirmou o policial que ainda acrescentou: "Identificamos que os empresários não entregavam os alimentos ou forneciam produtos sem qualidade e até vencidos".



Na semana passada, o Município do Paulista chegou a receber a visita do Ministro da Justiça, Sergio Moro, para celebração de um Convênio pelo qual a cidade, que é governada pelo prefeito Junior Matuto, do PSB, seria a primeira no País a receber um programa piloto de combate à criminalidade. Pelo visto, a ação começou pela própria Prefeitura e pela equipe do prefeito.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Prefeitura de Petrolina e dono de gráficas são alvos da Polícia Federal na manhã de hoje (Arualizado)

Das colunas sociais para as páginas policiais: briga familiar por herança acaba na Operação Background da Polícia Federal em Pernambuco contra sonegação de mais de R$ 8,5 bilhões

Mais de 20 empresas do Grupo João Santos utilizaram uma "factoring" para lavar dinheiro, além de superfaturar importações para fazer remessas ao exterior, aponta a Receita Federal

Operação Frígia: Policial Federal e ex-candidato a Prefeito são presos por participação em esquema de extração ilegal de ouro no Sertão pernambucano

Polícia Federal indicia ex-gestores do DER/PE e empresários por organização criminosa, peculato, corrupção e lavagem de dinheiro desviado de obras da BR 101, em Pernambuco