OPERAÇÃO MAR ABERTO: PINTEIRO SEGUE PRESO, DECIDE STJ





Em decisão assinada no dia 25, mas publicada somente hoje, o Ministro Joel Ilan Paciornik, do Superior Tribunal de Justiça indeferiu liminarmente o Habeas Corpus impetrado pela defesa do empresário pernambucano José Pinteiro da Costa Neto, preso no início do mês, pela Delegacia de Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributára (DECCOT), vinculada à DRACO, por crimes de sonegação fiscal, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

A defesa do empresário, que é apontado pela Polícia Civil como chefe de uma organização criminosa familiar suspeita de sonegar quase R$ 300 milhões em tributos somente referentes ao ICMS, que seriam devidos ao Estado de Pernambuco, ingressou com o Habeas Corpus no STJ porque o desembargador relator do Habeas Corpus impetrado no Tribunal de Justiça de Pernambuco, Carlos Moraes, indeferiu o pedido de liminar para soltar monocraticamente o investigado.

Entretanto, o chamado Habeas Corpus "canguru", que "pula" uma instância, não foi admitido pelo ministro relator, que extinguiu o HC liminarmente. Resta agora aguardar a decisão colegiada do TJPE ou insistir com outro Habeas Corpus "canguru" junto ao STF.


MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários

Sem saber que estava sendo gravado, marido e assessor de vereadora relata fraudes em licitações envolvendo deputado federal e esquemas com emendas parlamentares. Até manipulação do MPPE para obter vantagens ele confessa

Cunhado de Paulo Câmara ganha cargo comissionado na Presidência do TRT6. Funcionários veem favorecimento

Incômodo de políticos influentes com investigações estariam por trás de perseguições a Delegada Patrícia Domingos, suspeita presidente da ADEPPE