Polêmica: compradores dos apartamentos "entregues" por Bolsonaro em Petrolina soltam nota repudiando "inverdades" da propaganda oficial "fazendo todos acreditarem que foi de “graça” o que além de ser uma inverdade se torna totalmente desrespeitoso para quem adquiriu o apartamento com tanto esforço."



Crédito: Reprodução


O presidente Jair Bolsonaro participou, no último dia (24), da cerimônia de entrega de 472 imóveis em um conjunto habitacional  na cidade de Petrolina, que, segundo o presidente, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho e ministros de Bolsonaro, seriam do Programa Minha Casa Minha Vida.

Nas redes sociais, os moradores demonstraram revolta contra o prefeito Miguel Coelho, e contra a Construtora Jota Nunes, e outros politicos, que aproveitaram do momento para fazer divulgação de uma obra realizada que está sendo paga pelos próprios moradores, e que segundo os eles, “não há qualquer tipo de doação por parte do Governo Federal”.

Confiram a Nota dos Moradores, divulgada nas Redes Sociais:

“Viemos por meio deste, informar nosso total repúdio perante aos últimos acontecimentos relacionados ao empreendimento Morada Nova. Em que foi feita a propaganda um tanto equivocada para a população de Petrolina e Região. No qual foi divulgado que o Empreendimento foi algo proposto pelo governo assim fazendo todos acreditarem que foi de “graça” o que além de ser uma inverdade se torna totalmente desrespeitoso para quem adquiriu o apartamento com tanto esforço. Devemos salientar que, o benefício do subsídio do governo se enquadra apenas para algumas rendas, sendo assim, quem teve sua renda maior que a exigida para obter o benefício, teve seu apartamento financiado normalmente. Conforme apresentado no texto, ficamos aguardando total esclarecimento por parte da empresa Jota Nunes quanto o incidente ocorrido no dia 24/05/2019 na inauguração do Empreendimento Morada Nova.

Com os melhores cumprimentos, aguardamos uma resposta imediata da construtora.

Ass: compradores do empreendimento Morada Nova”

Por outro lado, a moradora Luana Torres afirmou que o Prefeito Miguel Coelho divulgou para a imprensa que a obra seria do Programa Minha Casa Minha Vida e infelizmente não foi isso que aconteceu. “O prefeito fez com que toda mídia divulgasse que as casas eram o Governo Federal que estava dando, o que é mais revoltante é que o prefeito deixou transparecer que a nossa casa é do Programa Minha Casa Minha Vida, fizeram da obra uma coisa política para o presidente Jair Bolsonaro se engrandecer do que ele não fez, a não ser realmente o subsidio que é direito nosso,” lamentou.

Ainda assim, a moradora Joseanne Cavalcanti, disse que a Construtora Jota Nunes deu espaço para essa divulgação. “Com certeza a Jota Nunes está sabendo de tudo e até o momento eles não se pronunciou sobre o fato. Isso foi uma falta de respeito com todos os moradores”.

Outra moradora que está indignada com o fato é Luana Mattos. “Desde a semana passada fomos avisados que a obra seria inaugurada antes da data prevista, e que seria um evento grande e que iria ser veiculado em rede nacional. Eles tentaram de todas as formas nos empolgar, mas até então não disseram o motivo dessa antecipação da obra. No entanto, eu como moradora achei isso massa e quando foi na última segunda-feira (20) recebemos a notícia de que o presidente Jair Bolsonaro iria participar da inauguração do empreendimento e que algumas pessoas iriam receber a chave simbolicamente e a partir disso começou uma grande repercussão por conta que muitos moradores que não são apoiadores de Bolsonaro acabaram dizendo que não iriam para inauguração até porque essa obra é particular e não precisaria o governo está a frente disso. Eu como moradora fui e quando cheguei lá pegamos uma fila e fomos revistado com detector de metal. Ao entrar me obrigaram a colocar um adesivo no peito com a Bandeira do Brasil e até então eu não sábia o porque e mesmo assim coloquei e entrei no condomínio e fiquei frustrada. O que seria uma realização de um sonho, infelizmente não foi possível, eles fecharam as ruas do condomínio e ficou apenas um L para a gente circular dentro do condomínio, onde de um lado era aberto ao público e o outro lado aberto aos políticos e funcionários da prefeitura. Foi uma frustração enorme, não passei 10 minutos no local porque percebi que era apenas jogada política suja. A obra nem foi totalmente concluída como a Jota Nunes divulgou”, detonou a moradora.

Em sua página na rede social, o prefeito Miguel Coelho informou que o empreendimento foi “construído com recursos do FGTS e subsídios do Programa Minha casa, minha vida através do Governo Federal.

O uso político de um empreendimento pelo qual os compradores estão pagando prestações de até R$ 500 gerou revolta entre os adquirentes dos imóveis que chegaram a acusar a Construtora de vender unidades de um programa que o governo alega ser para a população pobre que não pode pagar.









A moradora Luana Mattos criticou o deputado federal Heitor Freire que divulgou nas redes sociais uma foto dizendo que teria entregue casas à pessoas de baixa renda, sendo que a foto postada é de uma das moradoras que também comprou o empreendimento com seu próprio dinheiro. “Ela está pagando a casa, assim como nós, ela está arrasada com a repercussão da notícia porque ela não ganhou nenhuma casa como está sendo divulgado”, afirmou.

Mas redes sociais a confusão é geral. O prefeito Miguel Miguel foi bombardeado pelos moradores. Veja abaixo:


(

MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários

Sem saber que estava sendo gravado, marido e assessor de vereadora relata fraudes em licitações envolvendo deputado federal e esquemas com emendas parlamentares. Até manipulação do MPPE para obter vantagens ele confessa

Cunhado de Paulo Câmara ganha cargo comissionado na Presidência do TRT6. Funcionários veem favorecimento

Incômodo de políticos influentes com investigações estariam por trás de perseguições a Delegada Patrícia Domingos, suspeita presidente da ADEPPE