Adriano Roberto: Relatório de FBC contempla a continuação da cleptocracia

Do Blog do Adriano Roberto 

A emenda da Medida Provisória que reestrutura o governo impede auditores da receita de investigar crimes conexos com sonegação tributária (lavagem de dinheiro, corrupção). Impede, também, que eles comuniquem tais crimes ao MPF e à PF, sem prévia autorização judicial.
Relatada pelo senador pernambucano citado na Lava Jato, Fernando Bezerra Coelho - FBC, a emenda já nasceu  inconstitucional, isso pelo simples fato de disciplinar investigação criminal, que é matéria processual, vedada às medidas provisórias.
Além disso, muito me causará espanto caso o ministro da justiça, Sérgio Moro, se cale diante de uma MP, que emendada, vai na contramão da lei de combate às organizações criminosas. Ele, que expressamente autoriza a cooperação entre órgãos públicos na apuração de crimes.
Ao vedar o compartilhamento das provas de crimes e impedir os auditores de investigá-los, o relator da MP FBC não está protegendo o contribuinte e sim o criminoso do colarinho branco. Retirar a Receita Federal do combate à corrupção é desfalcar de um de seus principais pilares a pedra angular que vem sendo construída a duras penas por Moro.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos