Adriano Roberto: Relatório de FBC contempla a continuação da cleptocracia

Do Blog do Adriano Roberto 

A emenda da Medida Provisória que reestrutura o governo impede auditores da receita de investigar crimes conexos com sonegação tributária (lavagem de dinheiro, corrupção). Impede, também, que eles comuniquem tais crimes ao MPF e à PF, sem prévia autorização judicial.
Relatada pelo senador pernambucano citado na Lava Jato, Fernando Bezerra Coelho - FBC, a emenda já nasceu  inconstitucional, isso pelo simples fato de disciplinar investigação criminal, que é matéria processual, vedada às medidas provisórias.
Além disso, muito me causará espanto caso o ministro da justiça, Sérgio Moro, se cale diante de uma MP, que emendada, vai na contramão da lei de combate às organizações criminosas. Ele, que expressamente autoriza a cooperação entre órgãos públicos na apuração de crimes.
Ao vedar o compartilhamento das provas de crimes e impedir os auditores de investigá-los, o relator da MP FBC não está protegendo o contribuinte e sim o criminoso do colarinho branco. Retirar a Receita Federal do combate à corrupção é desfalcar de um de seus principais pilares a pedra angular que vem sendo construída a duras penas por Moro.

MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

Contrato da iluminação pública de Olinda leva à condenação da vice-governadora de Pernambuco e ex-prefeita do município por improbidade administrativa com suspensão dos direitos políticos por seis anos

Corruptocracia Pernambucana: Prefeito com tornozeleira é recebido com festa ao retornar ao cargo depois de desviar quase cem milhões da Previdência. Veja o vídeo

STF derruba sigilo de gastos da Presidência e Bolsonaro terá que mostrar faturas milionárias do cartão corporativo

Cabos da PM/PE denunciam que governo de Pernambuco só promove oficiais: "Quanta injustiça numa única corporação!"