Vice-prefeito de Abreu e Lima rebate ação do MPPE e aponta equívoco na sua inclusão na ação


Nota

A verdade dos fatos Embora ainda não tenha sido oficialmente comunicado da ação civil pública do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), venho a público prestar os seguintes esclarecimentos a respeito do assunto: A nota do MPPE faz alusão às contas rejeitadas do prefeito Pastor Marcos, referentes ao exercício financeiro de 2015, que correspondem ao primeiro mandato do gestor municipal. A bem da verdade, é bom que se diga que à época eu não exercia o cargo de vice-prefeito do município, que era ocupado pelo Sr. Josias Pereira de Azevedo. A chapa Pastor Marcos (prefeito) e Dr. Marcos (vice-prefeito) foi eleita nas eleições de 2016, e tomou posse em janeiro de 2017. Trata-se, portanto, de um grave equívoco cometido pelo MPPE, em razão dos fatos narrados não terem aderência com a realidade. Vale registrar ainda que ao longo de mais de dois anos de mandato, em momento algum assumi o comando do executivo municipal. 

Atenciosamente 

Marcos Antonio Peixoto de Siqueira. 
Vice-prefeito da cidade de Abreu e Lima

MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários

Sem saber que estava sendo gravado, marido e assessor de vereadora relata fraudes em licitações envolvendo deputado federal e esquemas com emendas parlamentares. Até manipulação do MPPE para obter vantagens ele confessa

Incômodo de políticos influentes com investigações estariam por trás de perseguições a Delegada Patrícia Domingos, suspeita presidente da ADEPPE

Exclusivo: Relatório do MPPE comprova que SDS tenta responsabilizar delegada Patrícia por prescrições ocorridas no século passado, antes da policial ingressar na própria Policia Civil. Quem estão querendo acobertar?