A Lava Jato vazou documentos proibidos para a Globo e para o Antagonista e agora reclamam, diz Greenwald em entrevista


O jornalista Gleen Greenwald afirmou em entrevista ao programa Faixa Livre da Rádio Band, na manhã de ontem (11) que via uma certa ironia na reação de Sergio Moro e Deltan Dalagnol ao vazamento de conversas de ambos e de outros membros da Lava Jato, obtidas do aplicativo Telegram, que afirmam ter sido obtidas por meios ilegais.

Segundo Grenwald, a Lava Jato teria vazado documentos sigilosos para a Rede Globo, a quem chamou de parceira da Operação e ao site Antagonista, o que é crime. Em pelo menos um dos diálogos divulgados até agora pelo Intercept, procuradores da Lava Jato aparecem trocando figurinhas sobre o envio de uma petição justamente para o Antagonista e para a Rede Globo.

Greenwald afirmou ainda que os acusadores não teriam a menor ideia de como a fonte do Intercept teria obtido as conversas e que tentam desviar a atenção sobre o conteúdo antiético, corrupto e ilegal das próprias conversas.

O editor do Intercept contou que o arquivo recebido da fonte é o maior da história do jornalisno mundial, superando o de Snowden e que ainda trará material sobre nuitos juizes e procuradores, além de Moro e Dallagnol.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: Polícia Civil de Pernambuco prende maior estelionatário do Nordeste. Hacker, que estava foragido, foi preso pela Delegacia do Cordeirro. Golpes ultrapassam a casa dos R$ 100 milhões

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Covidão: PF faz buscas nas Prefeituras do Recife, Paulista, Cabo e Olinda contra corrupção na pandemia