FACHIN NEGA HABEAS CORPUS E PINTEIROS SEGUEM PRESOS



O ministro Edson Fachin negou, no último dia 03, o pedido de Habeas Corpus protocolado pela defesa do empresário José Pinteiro Neto, apontado como chefe de uma organização criminosa denunciada pelo Ministério público de Pernambuco pelos crimes de sonegação fiscal e lavagem de capitais. Leiam a parte dispositiva da decisão que só foi disponibilizada ontem (4):

"1. No caso dos autos, a apontada ilegalidade não pode ser aferida de pronto. 

O impetrante insurge-se quanto ao decreto da prisão preventiva do paciente. Contudo, não acostou aos autos os documentos indispensáveis para aferição da ilegalidade. 

Com efeito, olvidou-se de instruir o feito com cópia da decisão de indeferimento de liminar do STJ, ato coator, e cópia integral da decisão proferida pelo TJPE, atos jurisdicionais indispensáveis à compreensão da matéria. 

Quanto a este último documento, deve-se esclarecer que a cópia parcial da decisão, jungida aos autos, não permite verificar quais os fundamentos utilizados pelo Juízo ad quem ao manter a prisão preventiva do paciente, pouco contribuindo, portanto, para comprovar os argumentos aduzidos. 

Assim, a instrução deficitária inviabiliza a análise do constrangimento ilegal invocado pelo impetrante e a concessão da ordem pleiteada. 

Acrescente-se que, consoante reiterada jurisprudência da Corte, “constitui ônus do impetrante instruir adequadamente o writ com os documentos necessários ao exame da pretensão posta em juízo” (HC 95.434/SP, Primeira Turma, Relator o Ministro Ricardo Lewandowski, DJe de 2/10/09). Na mesma linha: HC 130240 AgR, Relator(a): Min. ROBERTO BARROSO, Primeira Turma, julgado em 24/11/2015 e HC 131202 AgR, Relator(a): Min. DIAS TOFFOLI, Tribunal Pleno, julgado em 03/03/2016. 

Na mesma linha, é consolidado nesta Corte o entendimento acerca da impossibilidade de emenda à impetração, haja vista que o habeas corpus, “instrumento destinado à proteção de direito líquido e certo, demonstrável de plano, que não admite dilação probatória” (HC 103606, Relator(a): Min. RICARDO LEWANDOWSKI, Primeira Turma, julgado em 21/09/2010). 

Destarte, como não se trata de decisão manifestamente contrária à jurisprudência do STF, ou de flagrante hipótese de constrangimento ilegal, não é o caso de concessão da ordem de ofício. 

2. Posto isso, com fulcro no art. 21, §1º, do RISTF, nego seguimento ao habeas corpus. 

Publique-se. 
Intime-se. 

Brasília, 03 de junho de 2019. 

Ministro Edson Fachin 
Relator 
Documento assinado digitalmente"

MAIS VISITADAS DO MÊS

São dois, os Secretários de Geraldo Julio, presos pela Polícia Federal, ontem, por desvios em obra da BR 101, ambos indicados por Sebastião Oliveira

Mãe "rica" da "Beira Mar" reclama de escola cearense que coloca seus filhos em aulas on line com crianças de "outro nível". Escola emite nota lamentando discriminação

Juiz faz Inspeção nas unidades de saúde para Covid-19, de Pernambuco, e oficia MPPE e MPF, para que investiguem possíveis crimes na ocorrência de óbitos por falta de UTIs no Estado que até hoje não explicou com o que gastou R$ 9,7 bilhões recebidos do SUS e repassados a OSs

Respiradores comprados pela Prefeitura do Recife a empresa veterinária só foram testados em porcos. Confiram os vídeos

Exclusivo: Deputado Sebastião Oliveira, de Pernambuco foi alvo de buscas e apreensões da PF na Operação Outline. Dois ex-servidores do DER foram presos na manhã de hoje