Prefeito de Camaragibe líder de organização criminosa apoiou Bolsonaro para acabar com a Corrupção . Demais membros da ORCRIM também alardearam voto em Bolsonaro

Meira chegou a ser recebido no TCE como uma espécie de paladino da moralidade

O prefeito afastado de Camaragibe, Demóstenes Meira, que foi preso na semana passada pela Operação Harpalo II, da DRACO, foi um dos mais fervorosos cabos eleitorais do presidente Jair Bolsonaro em Pernambuco. O motivo: acabar com a corrupção. Aliás, tão logo assumiu a prefeitura de Camaragibe, Meira foi recebido com pompa e circunstância no TCE como uma espécie de paladino do combate à corrupção. 

O apoio a Bolsoanro foi alardeado por Meira em Blogs pernambucanos e foi seguido por outros membros da organização criminosa flagrada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de Pernambuco saqueando os cofres de Camaragibe que vibraram com a vitória de Bolsonaro com postagens e frases de efeito em suas Redes Sociais.

O Secretário de Obras Silvano Jackson, afastado ainda na primeira fase da Harpalo, bradava no seu perfil no Instagram: "É 17 NELES"!



A empresária Luciana Maria da Silva que também foi presa na Harpalo II por fraudes em licitações, lavagem de dinheiro e corrupção também manifestou "orgulho" por fazer a campanha de Bolsonaro, que qualificou como a "maior campanha eleitoral popular voluntária da História do Brasil".



A também empresária e esposa de Carlos Augusto, Joelma Silva, ambos presos ma Harpalo II, junto o líder da Orcrim, Demóstenes Meira, também vibrou com a vitoroa de Bolsonaro. Em sua foto no perfil do Facebook comemorou: "Acabou! Graças a Deus! Bolsonaro Presidente!




MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

Auditoria do TCE/PE constatou fraude fiscal, sonegação fiscal, superfaturamento, não prestação dos serviços em contrato de mais de R$ 16,7 milhões da ALEPE. Com a palavra o MPPE, o MPF, a Receita Federal e a Polícia Federal

Operação Outline: PF faz Operação contra corrupção em obra do Governo de Pernambuco com recursos federais. Operação visa apurar propina de R$ 2 milhões paga por construtoras em obra no entorno da RMR

Veja: COAF achou R$ 40 milhões na conta de um desembargador