"Temerário", assim foi classificado pela Polícia Civil, contato telefônico de Demóstenes Meira com Desembargador na véspera da Operação Harpalo

Delegada Jéssica Ramos conduzindo o "todo-poderoso" Demóstenes Meira à prisão 


EXCLUSIVO

O Blog da Noelia Brito teve acesso, com exclusividade, à Representação da Polícia Civil que resultou na prisão e no afastamento do prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira, do PTB. A peça, assinada pela Delegada Jéssica Ramos, da 2ª Delegacia de Polícia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO), destaca-se que "denúncias anônimas colacionadas aos autos dão conta de uma rede de pessoas quem compõem uma verdadeira organização criminosa, no conceito mais atual de CRIMINALIDADE INSTITUCIONALIZADA, envolvendo diversos políticos, empresários e funcionários públicos de mais de um município, em uma atuação conjunta para apropriar-se de bens públicos e ocultar  a origem ilícita da aquisição de bens e valores."

No pedido de prisão preventiva e afastamento de Meira ainda consta a revelação, oriundo do Relatório de Inteligência que extraiu informações do celular do prefeito, dando conta de que "um dia antes da deflagração da OPERAÇÃO HARPALO, no dia 25/03/2019,  DEMOSTENES MEIRA realizou uma ligação para o Desembargador FAUSTO CAMPOS, DO TJPE, o que parece bastante temerário".

A prisão de Demóstenes Meira foi determinada pelo Desembargador Mauro Alencar de Barros, na Operação Harpalo II, atendendo ao segundo pedido de prisão e afastamento do prefeito, realizado pela Polícia Civil, depois da análise das provas obtidas na Operação Harpalo I.


LEIA TAMBÉM

Em depoimento à DRACCO, testemunha contou que Meira se gabava de ter "comprado todo mundo no TRE"

MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários

Sem saber que estava sendo gravado, marido e assessor de vereadora relata fraudes em licitações envolvendo deputado federal e esquemas com emendas parlamentares. Até manipulação do MPPE para obter vantagens ele confessa

Incômodo de políticos influentes com investigações estariam por trás de perseguições a Delegada Patrícia Domingos, suspeita presidente da ADEPPE

Exclusivo: Relatório do MPPE comprova que SDS tenta responsabilizar delegada Patrícia por prescrições ocorridas no século passado, antes da policial ingressar na própria Policia Civil. Quem estão querendo acobertar?