DJ bolsonarista preso pela PF na Spoofing teria dito que o suposto hacker filiado ao DEM queria vender memsagens de Moro ao PT


O advogado do DJ de Araraquara, preso pela Polícia Federal por integrar uma organização criminosa especializada em fraudes bancárias pela internet que teria hackeado contas do Telegram de autoridades como Sérgio Moro, afirmou à imprensa que seu cliente teria dito que o chefe da Orcrim, o estudante de Direito conhecido como Vermelho, pretendia vender as mensagens baixadas das contas do Telegram de Moro ao PT.

O DJ era frequentador das passeatas de Bolsonaro e chegou a filmá-las com um drone. Já o estelionatário Vermelho é filiado ao DEM desde 2007 e costumava frequentar clubes de tiro e postar fotos apontando armas em Redes Sociais.

MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

STF derruba sigilo de gastos da Presidência e Bolsonaro terá que mostrar faturas milionárias do cartão corporativo

Cabos da PM/PE denunciam que governo de Pernambuco só promove oficiais: "Quanta injustiça numa única corporação!"

Auditoria do TCE/PE constatou fraude fiscal, sonegação fiscal, superfaturamento, não prestação dos serviços em contrato de mais de R$ 16,7 milhões da ALEPE. Com a palavra o MPPE, o MPF, a Receita Federal e a Polícia Federal