Pernambuco Conectado II: Sem conseguir impor vitória da OI, Governo Paulo Câmara dispensa licitação para não acatar resultado de licitação vencida pela Claro/Embratel

A Secretaria de Administração de Pernambuco acaba de divulgar uma chamada pública para habilitação de empresas de telecomunicação e processamento de dados, para um contrato emergencial bilionário, com dispensa de licitação, destinado à prestação de serviços do chamado Pernambuco Conectado II, um projeto iniciado ainda na gestão de Eduardo Campos, pelo qual o fornecimento de serviços de telecomunicação e transmissão de dados é unificado para todos os órgãos do Estado.

Após uma conturbada licitação, vencida pelo Consórcio Claro/Embratel, mediante um lance 700 milhões inferior ao indicado pelo próprio Eatado de Pernambuco como base, uma denúncia "anônima" entegue no TCE por um conhecido advogado lobista com ligações eatreitas com o PT e o PSB e com livre trânsito no TCE de Pernambuco, acusando falsamente consórcio vencedor de apresentação de um documento falso que teria sido emitido pelo Banco do Brasil e pelo COI, o governo Paulo Câmara deixou de holologar o resultado, numa prática já comum nesse governo, de anular licitações quando não consegue manipulá--las e impor seus favoritos como vencedores, utilizando-se, depois, de dispensas de licitações para impor a contratação de empressas amigas.

Todo o processo de desconstrução do resultado da licitação do Pernambuco Conectado II vocé pode relembrar aqui mesmo em nosso Blog.

Permanecemos atentos nessa novela colombiana para saber quem será o agraciado com a Dispensa de Licitação.




MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

STF derruba sigilo de gastos da Presidência e Bolsonaro terá que mostrar faturas milionárias do cartão corporativo

Cabos da PM/PE denunciam que governo de Pernambuco só promove oficiais: "Quanta injustiça numa única corporação!"

Auditoria do TCE/PE constatou fraude fiscal, sonegação fiscal, superfaturamento, não prestação dos serviços em contrato de mais de R$ 16,7 milhões da ALEPE. Com a palavra o MPPE, o MPF, a Receita Federal e a Polícia Federal