Supostos Hackers presos ontem não eram investigados por mensagens vazadas pelo Intercept, revela decisão que decretou suas prisões.


A decisão do Juiz Federal da 10. Vara Federal Criminal do Distrito Federal que determinou a prisão dos supostos hackers que teriam invadido o celular do mimistro Sergio Moro e os de outras autoridades revela que o inquérito que deu ensejo à Operação não investiga a invasão e o vazamento de mensagens trocadas por Sergio Moro, quando ainda era juiz e demais integrantes da Lava Jato, a exemplo do procurador Deltan Dallagnol.

Apesar de Sergio Moro e outros bolsonaristas terem comemorado, pelo Twitter, a prisão dos supostos hackers, atribuindo a estes os vazamentos das mensagens comprometedoras trazidas a público pelo Intetcept, a verdade é que a leitura da íntegra da decisão, a que o Blog teve acesso, não traz qualquer referência a qualquer vínculo entre os crimes atribuídos aos supostos hackers e as mensagens vazadas pelo Intercept.

De acordo com a decisão, a investigação teria como foco a invasão ao celular de Sergio Moro e de dois delegados da Policia Federal, bem como de um desembargador e um juiz federal.

O levantamento do perfil dos supostos hackers, feito pela Folha e pelo Estadão, revela dados curiosos. De acordo com o Estadão, o investigado conhecido como Vermelho seria um estudante de Direito, com vasta ficha criminal, amante de armas e frequentador de clube de tiro e filiado ao DEM desde 2007. Já o DJ que também é investigado, teria participado de passeatas pró-Bolsonaro e até filmado os eventos com drone.


MAIS VISITADAS DO MÊS

São dois, os Secretários de Geraldo Julio, presos pela Polícia Federal, ontem, por desvios em obra da BR 101, ambos indicados por Sebastião Oliveira

Mãe "rica" da "Beira Mar" reclama de escola cearense que coloca seus filhos em aulas on line com crianças de "outro nível". Escola emite nota lamentando discriminação

Com Covid19, Sikêra Jr. chora ao vivo e alerta: "não façam como eu fiz. Não subestimem a doença"

Exclusivo: Deputado Sebastião Oliveira, de Pernambuco foi alvo de buscas e apreensões da PF na Operação Outline. Dois ex-servidores do DER foram presos na manhã de hoje

Com salário líquido de R$ 7,9 mil, Secretário de Geraldo Júlio, preso pela PF por desvios no DER, confessa prática de agiotagem e posse de R$ 1,4 milhão em dinheiro. Prefeitura silencia