Supostos Hackers presos ontem não eram investigados por mensagens vazadas pelo Intercept, revela decisão que decretou suas prisões.


A decisão do Juiz Federal da 10. Vara Federal Criminal do Distrito Federal que determinou a prisão dos supostos hackers que teriam invadido o celular do mimistro Sergio Moro e os de outras autoridades revela que o inquérito que deu ensejo à Operação não investiga a invasão e o vazamento de mensagens trocadas por Sergio Moro, quando ainda era juiz e demais integrantes da Lava Jato, a exemplo do procurador Deltan Dallagnol.

Apesar de Sergio Moro e outros bolsonaristas terem comemorado, pelo Twitter, a prisão dos supostos hackers, atribuindo a estes os vazamentos das mensagens comprometedoras trazidas a público pelo Intetcept, a verdade é que a leitura da íntegra da decisão, a que o Blog teve acesso, não traz qualquer referência a qualquer vínculo entre os crimes atribuídos aos supostos hackers e as mensagens vazadas pelo Intercept.

De acordo com a decisão, a investigação teria como foco a invasão ao celular de Sergio Moro e de dois delegados da Policia Federal, bem como de um desembargador e um juiz federal.

O levantamento do perfil dos supostos hackers, feito pela Folha e pelo Estadão, revela dados curiosos. De acordo com o Estadão, o investigado conhecido como Vermelho seria um estudante de Direito, com vasta ficha criminal, amante de armas e frequentador de clube de tiro e filiado ao DEM desde 2007. Já o DJ que também é investigado, teria participado de passeatas pró-Bolsonaro e até filmado os eventos com drone.


MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários

Sem saber que estava sendo gravado, marido e assessor de vereadora relata fraudes em licitações envolvendo deputado federal e esquemas com emendas parlamentares. Até manipulação do MPPE para obter vantagens ele confessa

Cunhado de Paulo Câmara ganha cargo comissionado na Presidência do TRT6. Funcionários veem favorecimento

Incômodo de políticos influentes com investigações estariam por trás de perseguições a Delegada Patrícia Domingos, suspeita presidente da ADEPPE