Bolsonaro escolhe apadrinhado do filho investigado para ser o novo Procurador Geral da República



Robson Bonin, da Veja, revela que pelo menos dois candidatos à sucessão de Raquel Dodge já teriam sido avisados por emissários de Bolsonaro de que o presidente teria batido o martelo e decidido indicar o procurador da República do Rio de Janeiro Antônio Carlos Simões Soares para o posto.

Segundo a Veja, o nome teria sido escolhido em razão de suas ligações com o filho investigado de Bolsonaro, Flavio Bolsonaro e com o advogado deste Feederick Wassef.

Além das investigações por lavagem de dinheiro e peculato, que recaem sobre o filho mais velho de Bolsonaro, outra investigação envolvendo assessores milicianos da família presidencial pode ter influenciado na escolha do novo PGR, cujo nome deve ser anunciado até tetça-feira: tráfico de influência nas investigações do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco. Dentre os executores do assassinato estão ex-PMs ligados a Queiroz e ao próprio Flavio que mantinha familiares dos assassinos como assessores em seu gabinete. As investigações sobre manipulação do inquérito do asaassinato de Msrielle por autoridades do Rio De Janeiro foram determinadas pela atual PGR.


MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Sai PSB e entra PSL no comando do Diário de Pernambuco comprado por bolsonarista que chamou jornalistas de mentirosos e depois apagou o Twit

Políticos pernambucanos em pânico: Agiotas do Jatinho que delataram FBC gravaram conversas com delatados e entregaram áudios à PF, revela decisão de Barroso

Veja: Bolsonaro indica para o CADE advogada acusada de vender decisões do STJ para a JBS. A advogada é filha de uma desembargadora federal bolsonarista

Conselheiro do TCE/RJ, ligado ao MDB, é o mandante do assassinato de Marielle, revela inquérito da Policia Federal. O motivo seria vingança contra Freixo por perda do foro privilegiado