Justiça manda bloquear R$ 2,2 milhões da Prefeitura do Recife por descumprimento de decisão judicial. Pedido atende ao MPPE



O juiz de Direito Luiz Gomes da Rocha Neto determinou o bloqueio de R$ 2.250.000,00 das contas da Prefeitura do Recife a pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) por causa do atraso, de cerca de 30 dias, do órgão em cumprir a determinação judicial de fornecer produtos com fórmulas lácteas para crianças com alergia à proteína do leite da vaca e de suplementos alimentares enterais industrializados para crianças, adultos e idosos.

A recente decisão também indeferiu o pedido de reconsideração da primeira decisão formulado pela Prefeitura e voltou a assegurar o fornecimento desses produtos aos pacientes que tenham indicação de médico ou de nutricionista da Rede SUS/PE e que, após realização de consulta, recebam prescrição para consumo de fórmulas lácteas e os suplementos alimentares. A primeira decisão judicial deveu-se a uma ação civil pública ajuizada pelo MPPE em defesa dos pacientes.

Segundo o juiz, o direito à saúde é tutelado pela Carta Magna (artigo 196) e abrange os produtos citados, os quais são essenciais a preservação e restabelecimento à saúde dos necessitados. Uma nova audiência de conciliação/mediação foi marcada para 25 de setembro, às 14h30, na 7ª Vara da Fazenda Pública.

Com informações da Assessoria de Comunicação do MPPE

MAIS VISITADAS DO MÊS

Durante julgamentos de interesse da gestão Geraldo Julio, um dos quais envolvendo a Casa de Farinha, Conselheiros do TCE/PE perdem a calma, gritam e interrompem Procuradora que combate a corrupção no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife

Exclusivo: TJPE determina afastamento do Prefeito de Paulista, Junior Matuto, a pedido do Dracco, por desvios de R$ 21 milhões em PPP do lixo com a empresa Locar

"Grampos" da Operação Locador, do DRACCO, mostram temor de investigados de que chefões da gestão Matuto lhes fizessem "mal" e espanto com pagamentos em dinheiro vivo feitos pelo prefeito na compra de terrenos

PF volta à Prefeitura do Recife em mais duas Operações por desvios de recursos públicos na pandemia: Bal MAsqué e Apneia III. Diretor Financeiro é afastado do cargo pro pagar mais de R$ 7 milhões por produtos jamais entregues

Braço direito de Geraldo Julio, João Guilherme Ferraz incentivou e até debochou do fato de serem adquiridos respiradores testados apenas em porcos: "Leia c bons olhos kkkkkkk"