Operação Cravada: PF/PE cumpre mandado contra integrante do braço financeiro do PCC em Caruaru

Foram aprendidos 01 (um) aparelho celular e 02 (duas) agendas que continha anotações com nomes de possíveis suspeitos, informações de contas bancárias e realizações de pagamentos e transferência em dinheiro.


A Polícia Federal em Pernambuco informa que dentro da Operação Cravada deflagrada na data de hoje, (6), pela Polícia Federal em Curitiba/PR com apoio do Ministério Público do Estado do Paraná, GAECO/SP, Departamento Penitenciário Federal, Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo e Polícia Militar do Estado de São Paulo, que visa desarticular núcleo financeiro de facção criminosa (PCC) responsável pelo recolhimento, gerenciamento e emprego de valores para financiamento de crimes nos estados do Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Acre, Roraima, Pernambuco e Minas Gerais, foi dado cumprimento a 01 (um) Mandado de Busca e Apreensão na residência de uma mulher em Caruaru-PE onde foram aprendidos 01 (um) aparelho celular e 02 (duas) agendas que continha anotações com nomes de possíveis suspeitos, informações de contas bancárias e realizações de pagamentos e transferência em dinheiro.





Todo o material será encaminhado para a Coordenação da Operação em Curitiba/PR onde passará por perícia técnica e subsidiará as investigações que estão em andamento.

Cerca de 180 Policiais Federais deram cumprimento a 55 mandados de busca e apreensão, 30 mandados de prisão, expedidos pela Vara Criminal de Piraquara/PR. Verificou-se que o núcleo financeiro do PCC era responsável por recolher e gerenciar as contribuições para a facção criminosa em âmbito nacional. Os pagamentos - também chamados de “rifas”- eram repassados à Organização Criminosa por intermédio de diversas contas bancárias e de maneira intercalada, com uso de medidas para dificultar o rastreamento. A investigação indica a circulação de aproximadamente 1 milhão de reais/mês nas diversas contas utilizadas em benefício do crime. Foram identificadas e bloqueadas mais de 400 contas bancárias suspeitas em todo o país. Os valores que transitavam entre as contas bloqueadas eram utilizados para pagar a aquisição de armas de fogo e de entorpecentes para a facção (financiado diretamente a criminalidade violenta). Os investigados devem responder, na medida de suas participações, pelos crimes de Tráfico de Entorpecentes, Associação para o Tráfico, Organização Criminosa, entre outros.

Com informações e imagens da Assessoria de Comunicação da PF/PE

MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários

Sem saber que estava sendo gravado, marido e assessor de vereadora relata fraudes em licitações envolvendo deputado federal e esquemas com emendas parlamentares. Até manipulação do MPPE para obter vantagens ele confessa

Cunhado de Paulo Câmara ganha cargo comissionado na Presidência do TRT6. Funcionários veem favorecimento

Incômodo de políticos influentes com investigações estariam por trás de perseguições a Delegada Patrícia Domingos, suspeita presidente da ADEPPE