Sindicato da PF divulga dura nota por fala de Bolsonaro dando a entender que foi o responsável pela troca de superintendentes



Pegou muito mal junto aos policiais federais as declarações do presidente Jair Bolsonaro dando a entender que a decisão de substituir o superintendente da PF no Rio de Janeiro Ricardo Saadi pelo atual superintendente da PF em Pernambuco, Carlos Henrique Oliveira teria partido dele, Bolsonaro.

Em reação à fala de Bolsonaro, o Sindicato dos Delegados de Polícia Federal de São Paulo (SINDPF-SP) divulgou nesta quinta uma nota de repúdio. As declarações que causaram desconforto na PF foram dadas durante café da manhã com jornalistas na manhã de hoje,

Leia abaixo a íntegra da nota:

"O Sindicato dos Delegados de Polícia Federal no Estado de São Paulo (SINDPF-SP) manifesta seu repúdio às declarações dadas pelo presidente da República acerca da exoneração do superintendente regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro. Evocando um “sentimento” e alegando motivo de “produtividade”, Bolsonaro anunciou sua decisão durante entrevista a jornalistas no Palácio da Alvorada, em Brasília.

A escolha de superintendentes compete ao Diretor-Geral da Polícia Federal e a fala do presidente, mais que desrespeitosa, atenta contra a autonomia da Polícia Federal.

A PF é uma instituição de Estado e deve ter autonomia para se manter independente e livre de quaisquer ingerências políticas. Por isso é tão urgente que se aprove a PEC 412, que tramita há 10 anos no Congresso Nacional para garantir a autonomia da instituição."

MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

Pesquisa: Marília Arraes e Delegada Patrícia despontam empatadas na liderança da disputa para a PCR e podem protagonizar disputa inédita no Recife